De 7 para 8

Ontem a capa de Veja foi sobre o bebe que somou o 7o bilhão de Seres Humanos sobre a Terra.

Claro que isso é apenas simbólico e deve haver pouco mais do que isso,ou pouco menos.

Não existe SENSO que funcione direito e tudo são estimativas-estimada e muitas vezes muito mal estimadas.

Mas vamos entrar na grande brincadeira e fazer de conta que realmente somos em 7 bilhões.

De qualquer maneira, algo precisa ser feito.

O mundo esta uma grande baderna e não me fale que vc não concorda.

O planeta Terra foi evoluindo durante 4 bilhões de anos e tendo SERES vivendo seus ciclos sempre interagindo e se equilibrando em seu habitat.

O que temos visto é algo nada equilibrado, a começar por essa progressão geométrica de nascimentos desorganizados e sem fim.

Parece que o mundo todo vive sem energia elétrica.
Brincando um pouco...
Pois no ditado popular, quando acaba a energia elétrica durante o começo ou meio da noite, dizem que a única coisa que resta a fazer é "brincar de ter filhos"

Bom.... isso tudo mudaria se tivéssemos educação.

Sim, uma coisa simples que qualquer mamífero, ave, ou alguns répteis que caminham sobre a terra sabem fazer com seus filhotes.

E, não tenho visto isso acontecer.

Tenho visto crianças obesas, tenho visto crianças que não sabem ler, nem escrever, sendo totalmente mal educadas pelos próprios pais que também não tiveram educação.

No fundo, os pais nem culpa tem, pois como vão saber educar se não foram educados?

Uma coisa tão simples estamos deixando de fazer: Educar

Se educamos as crianças, elas se tornam jovens e depois adultos conscientes do certo e do errado, e consequentemente optam por decisões mais sábias durante a vida, fazendo assim um mundo melhor para ele próprio e para o próximo.

Não me falem que é complexo educar..... pois qualquer chimpanzé faz isso no meio da mata estando em cima de uma árvore.

Nós temos TUDO à nossa disposição para ensinar.
Se não ensinamos, é por que não estamos dando prioridade para isso.

Pense no que vc esta fazendo para educar crianças próximas de vc.

Quer uma dica?
Use o esporte.
Use a bicicleta.

Comece ensinando a comer direito e se manter ativo com o uso do esporte, que isso já é o primeiro passo para que o futuro adulto faça TODO o resto bem.

Não podermos deixar o número 7 se tornar o número 8 no ano de 2025 só por que não fizemos uma coisa tão simples quanto ensinar e educar direito nossos próprios filhos.




Parabéns para a organização do evento Pedala Zezinho

14 comentários:

Xampa disse...

É vero.
Pais ausentes dão presentes. Como ficam pouco tempo com o filho não educam, pq isso quer significa falar não.

Não conheço uma criança "impossível" que não tenha um pai ausente.

Tudo isso é uma pena e esse vídeo é show de bola.

mariutti disse...

Há controvérsias. Atletas tendem a viver LONGAS vidas e seu consumo de água e caloria é muito superior aos dos demais cidadãos. No mínimo, o dobro da média de consumo calórico. Atletas tendem a usar recursos médicos também, por conta da propensão à lesão.

Logo, nós triatletas somos um peso para a natureza. E a questão não é só o volume de calorias: consumimos alimentos nobres, que demandam demais os recursos do planeta. Carboidrato é uma fonte de energia que demanda muito espaço (agricultura) e as proteínas que consumimos também.

Imagine se 10% da população da Índia e da China começar a praticar eportes e dobrar o consumo calórico médio (1.800 calorias, nos últimos dados que vi) para cerca de 3.600 (que é, inclusive pouco para um aleta...)
uma legião de trialetas na China e na Índia? O peso que isto trará ao meio ambiente? Não só em termos de alimentos...

Alumínio: além de ser um metal escasso, consome uma quantidade de energia eletríca gigantesca para ser processado

Carbono: derivado do petróleo, demanda muita mão de obra para ser confeccionado.

Borrachas, Neoprene e EVA: derivados do petróleo, com diversos elementos químicos caríssimos.

Logo, para salvar o planeta, é melhor acender um cigarro, beber uma cachaça (a fonte de energia mais barata existente) e evitar sexo para procriação.

Aninha disse...

Controversias? 
Ah! Sim... Sempre irao existir!
Mas, duvido que alguem discorde que se a base... Se a base fosse solida... 
Qdo digo base... Me refiro a base de TUDO... 
A EDUCACAO...
Se ela existisse... Nao estariamos aqui discutindo essas questoes, num universo que beira 7bi de pessoas e num Brasil na casa dos 200mi de habitantes...
Para nao ficar viajando/ elocubrando em cima do "SE"... Podemos pensar sim em meios/ forma para melhorar... Para evoluirmos!
Eu sou adepta da teoria e jah vi na pratica que o esporte eh uma excelente forma de se educar: discilpina, respeito, limites, horarios, regras, hierarquia, alimentacao, etc, etc, etc... 

Qto ao consumo... Um individuo educado, que pratica atividade fisica regularmente e se alimenta de forma adequada com certeza estah condicionado e consome menos energia/ calorias, alem de gerar menos lixo (outro problema) que  um individuo sedentario que consome fast food, estah acima do peso e nao tem grandes preocupacoes com qualidade de vida e saude!
Obviamente, na Somalia, a situacao eh diferente... 

O Esporte... Para mim faz sentido!!!

"cigarro e cachaca???" no way!!!

mariutti disse...

Oi Ana. Boa tarde. Eu estava apenas brincando. Um atleta (que treina pelo menos 10 horas por semana)gasta, na média, necessariamente mais calorias que um sedentário. E calorias ambientalmente "caras". Mas isto não tem nada a ver com a questão. É um sofisma que aprendi, lendo a um tempo atrás, um "cientista" que era contra as ciclovias porque elas, indiretamente, faziam a população viver mais e, portanto, TAMBÉM pressionava o ambiente. Achei muito engraçado o falso argumento.

Não resisti à oportunidade de usá-lo aqui. E o Ciro foi muito cavalheiro em autorizar o post.


Abraços a todos

Aninha disse...

Boa tarde!
Obrigada por explicar seu primeiro comentario...
O sofisma... De certa forma... Faz sentido...

O esporte realmente leva a longevidade... A tendencia eh de que as pessoas saudaveis vivam mais....

Mas... Com EDUCACAO...

Ah!!!

Com certeza, as coisas seriam diferentes....

Mas, talvez, para salvar o mundo a populacao tenha que realmente diminuir...

Porem... Sou incapaz de lancar a campanha "acenda um cigarro e beba cachaca"! Rsrs...

Max disse...

Mariutti, Ana, Ciro....

gostei do pensamento "na contra mao". Me fez refletir. Talvez a solucao, antes de educar para o esporte, seja educar atraves do esporte para uma finalidade maior que o esporte em si.

Seja ponderado.
Tenha auto-controle e disciplina.
Conheca a si mesmo.
Respeite o outro.
Seja humilde.

Esses, e alguns outros ensinamentos, podem redundar em um atleta melhor, e em um cidadao melhor.

Apenas como complemento: estou passando ferias em um lugar tao primitivo quando ainda pode existir perto da nossa "civilizacao" : chao de areia, nada de asfalto, e 200 moradores tornados infimos no meio de um rio, do mar de agua e de um mar de dunas.

Nao ha qualquer pressao demografica local, nem qualquer indicacao de pressao demografica mundial. E no entanto, esses 200 e poucos moradores, somados aos turistas que passam por aqui, nao praticam com regularidade algo tao simples como jogar lixo na cesta. Nao vou nem falar em reciclar.

Resultado: feridas de lixo na vegetacao e nas dunas.

O que eu quero dizer com isso.....eh que o problema real me parece nao a quantidade de pessoas, mas a qualidade com que elas sao formadas.

Falei demais :-)

Xampa disse...

Max, perfeito.
Na Praia do Forte, aonde rola o projeto TAMAR, alguém chegou e educou o povo. Explicou, fez a galera pensar.
Eu passei a separar o lixo orgânico do reciclável depois de morar em Ctba. Antes disso, eu era mais um carioca que jogava lixo pela janela do carro.
Belas reflexões.
Elas sempre nos fazem pensar.
Gosto disso.

Vagner disse...

Se eu falar que a "explosão demográfica" é uma questão do passado vocês vão me bater, né?

Hoje os demógrafos estão pensando como, no futuro, a sociedade vai ter que lidar com problemas muito diferentes, que eles chamam de "transição demográfica".

O primeiro, o crescimento da população idosa em função do aumento da expectativa de vida. Por exemplo: no Brasil, entre 1970 e 2000...2010) a população ganhou algo em torno 10 anos de vida a mais.

Uma década.

Em coisa de duas ou três dezenas de anos, os que tem 65 anos ou mais suplantarão em número aqueles com menos de 15 anos.

O segundo, acreditem ou não, é que começaremos a ter problemas de reposição. A partir de 2050 a população brasileira se estabiliza e começa a declinar...

Em São Paulo isso vai acontecer antes...

Ai vou concordar em parte com Max: o problema não é o tamanho da população. Só não sei se educação resolveria.

Alguns acham que o problema, de fundo, é o padrão de consumo.

Enfim...

ciro violin disse...

Faz sentido....

da uma olhada nesse vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=6D9oud80UV8

Vagner disse...

Sim, Ciro...é exatamente isso.

Não concordo com o tom do discurso politico e muito menos com a mensagem que esse video passa.

Mas é uma aula de como usar dados sobre demográficos atualizados.

No Brasil, nós estamos próximos a taxa de natalidade que ele diz ser critica - 1,9 filhos por mulher (http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,brasil-ja-tem-taxa-de-natalidade-igual-a-de-paises-desenvolvidos,705513,0.htm.)

Agora, aproveitando esse gancho, deixa eu aproveitar pra extender um pouco a discussão a parti do vídeo (mas se você quiser, não precisa colocar nos comentários do Blog, ok? Sem problemas mesmo).

Muitas pessoas acham que a explicação da pobreza está relacionada aos números de filhos das mulheres de baixa renda.

Isso está incrustado na cabeça das pessoas, pois todo mundo conhece uma (ou algumas) mulher(es) pobre(s) com "muitos filhos" e tira conclusões a partir dessa experiência pessoal.

Mas uma coisa é a visão da árvore, outra a da floresta.

Todavia, a taxa de natalidade das mulheres pobres também vem se reduzindo barbaramente, sendo apenas pouco superior a média da população feminina - que já é baixa.

A questão do planejamento familiar não é mais o número de filhos das mulheres. Isso é bobagem.

O diferencial entre mulheres com renda e maior escolaridade que moram na Vila Madalena e as meninas que ganham pouco e estudaram menos no Jardim Angela é que muitas dessas tem filhos antes dos 20 anos, enquanto aquelas depois dos 30.

E quando engravidam cedo, param de estudar.

Sendo a escolaridade da mãe o fator fundamental para a escolaridade do filho, cria-se um ciclo.

Putz, mais esse espaço aqui não é para agente comentar sobre triathlon?

Brincadeira...;-))))

Abs

mariutti disse...

Oi Max. De fato, pensar na contrasmão é o grande método. Eu sempre faço isso para testar minhas próprias idéias. O esporte é uma das formas de educação. Só o esporte não basta: alguns atletas são extremamente competitivos e, infelizmente, colocam o desempenho e a vitória acima de tudo (da saúde, por isso recorrem ao doping, por exemplo). O esporte não pode ser um fim em si mesmo (a não ser no caso dos profissionais).

A questão da demografia é sempre complicada. Já estudei muito isso. Principalmente do ponto de vista dos padrões de consumo. Mas...eis o problema fundamental: o padrão de consumo é causa ou consequencia da organização social?

O segundo problema envolve as concepções de educação. Uma educação exclusivamente técnica não resolve nada (com certeza, 90% da educação é técnica: engenharias, adm, direito, etc). Até piora. Educação que emancipa é humanística. Logo, a saída envolve ua combinação harmônica entre uma educação técnica e humanística.

abs

Max disse...

Vagner,

na National Geographic de Set. 2011 tem um artigo excelente sobre a reducao na taxa de natalidade brasileira. Segundo esse artigo, o Brasil eh o unico pais no mundo hoje que pode atribuir uma queda de natalidade ao poder da mulher e nao do estado.

Segundo o artigo, as mulheres, influenciadas pelo perfil emancipado das heroinas nas novelas, decidiram ter menos filhos para poder estudar e crescer pessoalmente, e passaram por cima de tudo o que estava em sentido contrario a isso.

O sugestivo titulo do artigo eh Machisma, e ha muitos dados estatisticos interessantes como complemento.

cfportugal disse...

conversando outro dia, falei de uma cena que não saiu da minha cabeça, desde que esse novo governo chegou 2003, certa vez no aerolula, o ex presidente declarou, ter visto o DVD do filme do zezé de camargo e luciano, alguns devem lembrar que o filme ainda não tinha ido às lojas, ou seja, nosso presidente e sua comitiva viram um filme pirata, dai exigir desse governo mudanças, seria improvavel ou impossível, esse é o nível do nosso povo, sinceramente não vejo nas proximas 2 gerações, chances de mudar drasticamente essa realidade, pois não temos bons exemplo a seguir. Farei minha parte, como sempre faço, mas sei que é pouco infelizmente.

mariutti disse...

Caro CF Portugal...se fazer a sua parte significa criar desinformação e espalhar boatos sem fundamento, parabéns. Antes dos filmes chegarem às lojas, as produtoras distribuem cópias para jornalistas, professores universitários da área de arte, crítico literários e políticos.

O filme foi patrocinado pela Petrobrás e teve uma série de isenções fiscais e subsídios do Governo Federal. Logo, praticamente todos os políticos até o terceiro escalão de governo tinham acesso LEGÍTIMO aos dvds antes do circuito comercial.


Algins jornalistas irresponsáveis lançaram esse boato, e pessoas preconceituosas prontamente embarcaram....

Quem sabe, se você parar de fazer o que julga ser a sua parte, talvez esse país melhore...


Esse boato colou para gente mal informada e preconceitusa, as mesmas pessoas que acreditam que o problema da população está ligado às mulherese pobres que só ficam parindo por serem ignorantes.