Chrissie Wellington a atleta do ano.


Estava lendo o blog do Arthr Ferraz, em que ele postou sobre uma uma matéria que saiu na
The Science of Sport (http://www.thescienceofsport.com/) sobre a Chrissie Wellington ganhar o prêmio de melhor atleta do ano de 2010.

Meu inglês é horrível, então joguei tudo no tradutor do google.
Resultado?
Ficou pior ainda.
O google traduz tudo ao pé da letra. Então, nada faz sentido.

Eu comecei a tentar ler, e ao mesmo tempo escrever, para dar sentido a cada parágrafo.
Acabei fazendo uma tradução.... e acho que até ficou bom.

O texto esta aqui em baixo, e é muito legal.
Vale a pena dar um pouco de prioridade para tentarmos entender o quanto essa mulher (quase homen, no bom sentido) é realmente espetacular como atleta...

Lembrando que pra mim.... (esta é só minha opinião)... as conquistas dela como atleta são apenas consequência, de ela ser primeiro uma excelente pessoa para com o mundo a sua volta.



Retirado de:

http://arthurmferraz.blogspot.com/2011/02/chrissie-wellington-atleta-do-ano.html



Chrissie Wellington:
Algumas comparações interessantes entre homens e mulheres no Ironman, e onde ela se encontra na história.


Meu pensamento é que: para ganhar o nosso prêmio como o esportista do ano, o atleta deve transcender o esporte.
Ele deve reescrever a história no seu próprio esporte.
É relativamente fácil de escolher a melhor mulher em cada esporte:
Atletismo: Blanka Vlasic,
Tênis: Serena Williams e Caroline Wozniacki,
Futebol: Marta do Brasil.

Mas para ser a melhor dos esportes em geral do ano.... você não pode apenas vencer seus rivais, você precisa dominá-las, mover seu esporte, transmitir uma geração a mudança de sua história, e se tornar "mainstream".
Você não pode apenas ser o melhor do seu esporte, você tem que ser um dos melhores da história no seu esporte.
Há alguns anos atrás por exemplo, poderia ter sido Annika Sorenstam, e em seguida, Lorena Ochoa, que dominou golfe tão completamente que ela moveu o golfe feminino para outro patamar.
Tenistas como Steffi Graf, Martina Navratilova fizeram o mesmo para o seu esporte, à algumas gerações atrás.
Paula Radcliffe, e Yelena Isinbayeva tomaram a frente das mulheres em seus respectivos esportes.
Do lado dos homens, nomes como Federer, Woods, Nadal, Phelps, Bolt vêm à mente. Esses atletas tem sido tão dominantes e impressionantes que são reconhecidos não apenas como tenistas, golfistas ou nadadores, mas como os melhores esportistas.

Mas o esporte feminino esta elativamente nú neste momento. Digo que como é difícil para as mulheres se destacarem na história, sem ser quando aconteceu algo extraordinário, mas com uso do doping, e que fez recordes quase impossíveis serem atingidos.

O tênis é em um estado peculiar, sem uma mulher dominadora, a número um do mundo, vai e volta deixando o ranking mundial como um carrossel nos últimos três anos. No golfe a mesma coisa, depois da aposentadoria de Sorenstam e Ochoa, deixaram um vazio que não foi preenchido até hoje.
Mas depois, felizmente para mim, um de vocês me lembrou de Chrissie Wellington na nossa página do Facebook.
Eu confesso ter uma espécie de "ponto cego" para o Triathlon na distância IronMan, porque a gente vê tão pouco desse esporte na TV. Particularmente o mundial de Ironman em Kona, que não é mostrado na televisão, infelizmente.
No entanto, Wellington é um nome que ganhou destaque nos últimos anos, como resultado de suas provas no Hawaí, dentre outros ótimos resultados.
2010 foi atípico, pois ela nem sequer largou em Kona. No entanto, ela marcou 2010 com algumas performances impressionantes, incluindo um novo registro de vitória no Ironman Arizona para embrulhar um 2010 dominante.

Então Chrissie Wellington é sim merecedora deste prêmio de 2010, pois é a melhor em seu esporte além de oferecer uma maravilhosa discussão do desempenho de homens conta mulheres nos esportes de resistência

Aqui está o porquê:

Alguns registros de Chrissie Wellington:

O triatlo Ironman em 2007 parecia normal antes do impacto imediato chamado Chrissie Wellington.
Ela se classificou para o Mundial no Hawaí depois de vencer o Ironman Korea, que foi sua primeira prova de Ironman. Ela foi a 7a no geral contando com os homens. Em Kona, 3 meses depois, seu impacto foi imediato - uma vitória com o tempo de 9:08:45, incluindo uma maratona sub 3 horas. Esse tempo foi o segundo mais rápido na história do evento, e um dos melhores tempos no geral há muitos anos - apenas Natascha Badmann com 9:07:54, em 2002, tinha sido mais rápido nos dez anos anteriores. Detalhe: Esse era seu primeiro Ironman Hawaí.

2008 e 2009, trouxe mais da mesma, e desta vez incluiu registros definitivos.
Em 2008 ela ganhou Kona novamente registrando uma corrida na maratona para 2:57:44, a melhor da história até então.
Em 2009 registrou também o mais rápido desempenho em distância Ironman com o tempo de 08:31:59 em Roth (um evento Ironman não oficial), e mais uma vitória em Kona 2009 marcando incríveis 8:54:02, e batendo o recorde da lenda Paula Newby-Fraser (embora a segunda colocada Mirinda Carfrae quebrou o recorde de Wellington da maratona, com 2h56).

Depois veio 2010.


Em julho deste ano, ela melhorou seu recorde na distância Ironman, desta vez com um desempenho 08:19:13 para terminar 7 º lugar geral em Roth, na Alemanha. Isto incluiu registros de 04:36:33 para o 180 km de ciclismo, e 02:48:54 para a maratona. Esse foi possivelmente o desempenho mais espetacular até agora.

Kona 2010 veio, mas ela não largou, com problemas de saúde. Em seguida, 2 meses depois, ela quebrou o recorde feminino do Ironman Arizona, marcando 8:36:13. Esse evento foi, nas palavras dela: "minha prova de Kona".
Ela terminou o ano com uma declaração, de que ela é a melhor triatleta de Ironman no mundo de hoje, e talvez tenha uma carreira que só pode ser superada por da Newby Fraser.
Ela simplesmente tem seis Ironmans sub-9, o que é um recorde, e permanece invicta na distância Ironman.
Ela com certeza também tem sido um catalisador para uma nova geração de triatletas femininas. Uma delas é Mirinda Carfrae que venceu Kona 2010, com o tempo de 8:58:36, mas só por que Wellington não estava presente. O tempo de Carfrae a coloca quase no mesmo patamar de Newby Fraser (tempos parecidos). A batalha entre as duas (Crissie X Carfrae) deverá ser um grande entretenimento nos próximos anos .


Desafiando os homens -


Onde esta Wellington na comparação: sexo masculino X sexo feminino?

Existe um comentário óbvio: "ela está quase prestes a bater todos os homens".
Recebi alguns e-mails discutindo isso e é uma pergunta muito interessante para tentar responder:
Wellington seria a única entre as atletas do sexo feminino do esporte de resistência, com uma chance real de ser melhor que homens?
Uma questão é que não deveríamos comparar performances de homens e mulheres. Mas sempre que exista uma diferença estreita entre os sexos, quase que se torna obrigatória uma comparação, principalmente, sobre a análise de desempenho do ponto de vista fisiológico.

Chrissie Wellington raramente tem estado de fora de um top 10 em todas as provas que participa pelo mundo. Com um 7o lugar geral de Roth, um 7o lugar na Korea, 8o no Arizona são apenas alguns exemplos das suas performances. Sua maratona em apenas algumas vezes foram piores do que uns poucos homens, nessas corridas. Só em Kona 2009, ela ficou de fora de um TOP 10, chegando em 22o no geral.

Não vemos isso em provas de maratonas, ou pista no atletismo mundial.
Mesmo o recorde mundial de Paula Radcliffe coloca seu seu tempo entre 473 na lista de melhores tempos só em 2009, e na listas da história em 3205.
Geralmente o que vemos, é a primeira mulher sempre chegar na média de um TOP 20 em provas de pista ou maratonas pelo mundo

Então, Wellington é a melhor atleta de resistência no mundo?
Uma mulher com chances reais de vencer corridas no geral?



Eu estaria sendo enganoso mostrar esse “equilíbrio competitivo” nas provas de Ironman ou corridas de ultra distância?

Algumas pessoas vão dizer que sim.
Este é um grande debate, e devo salientar que as provas estão aí.



Wellington sem sido única, quebrando recordes por mais de minutos, andando como uma “moto” sobre a bicicleta, sendo invicta em todas as competições que participa, e vencendo em qualquer estreia. Ela é uma atleta excepcional. Comparada com outras mulheres, Chrissie aos 33 anos é a melhor, e seu ano de 2010 merece esse reconhecimento.

No entanto, para responder plenamente a questão homem X mulher, precisamos de uma referência. E essa marca oferece uma interessante discussão, pois devem ser provenientes de performances dos homens.


Masculino X performance feminina

O esporte Triathlon é particularmente difícil. Para as mulheres, teoricamente se tornaria ainda mais difícil. São três disciplinas diferentes o que torna as comparações dentro do Ironman complicadas
Até podemos fazer comparações melhores dentro do atletismo, mais precisamente na pista ou na rua. Existe um gráfico, já feito, que ilustra a comparação entre os registros de recordes mundiais no mundo dos homens e das mulheres para os eventos de pista.
Se você olhar, vai notar que os tempos de todas as mulheres é entre 9% e 13% mais lento que os tempos dos homens. Dada a longa história e as condições relativamente padronizados (por recordes mundiais, que são quase sempre em condições ideais), esses números mostram muito claramente que os homens superam as mulheres em cerca de 11% (e isso, mesmo com o doping evidente nas mulheres ).

Agora, vamos olhar para performances de Wellington no Ironman. Em primeiro lugar, qual é o seu lugar na história em comparação com outros vencedores? Se analisarmos as performances das vencedoras em Kona desde 1995, veremos que exite três gerações de atletas apenas. Essa comparação é feita, mas as condições da prova mudam muito de ano para ano, pois na Big Island o calor e o vento são predominantes em alguns anos, e em outro não.


A diferença, é praticamente a mesma para os eventos de atletismo, com poucas exceções, onde as mulheres estão bem abaixo dos homens. Quando alto, a primeira mulher chega com 13% de diferença.
Em 2007 Wellington chegou com uma diferença de 10,8% em sua estreia e Kona. Depois no ano seguinte chegou com 9,7% de diferença, e em 2009 com 6,7% apenas. Isso é incrível! Em 2010, Mirinda Carfrae (8:58:36) chegou com apenas 9,8% de diferença para o vencedor no masculino.

Claramente, Wellington guardando as devidas proporções, entre homens e mulheres..... ela foi a melhor em Kona. Dependendo do ponto de vista, ela esta no lugar mais alto entre homens e mulheres no Triathlon Ironman.
Não posso deixar de dizer que tudo isso poderia ser através do uso de doping. Eu seria ingênuo em dizer que não existe doping no Ironman, mas testes foram feitos e tudo parece que esta ok. Mas volto a dizer que seu desempenho é duplamente impressionante.

Há também outras performances excepcionais - como em 2002, quando o desempenho Natascha Badmann, com 9h07, que foi apenas 7,5% mais lento que o vencedor dos homens no mesmo ano (de Timothy DeBoom com 8:29:56, que foi considerado lento). Esse desempenho de Badmann também mostra-se falhas nesta análise - a cada ano é muito variável – Em 2002 foi um ano considerado “fraco” no masculino, o que fez com que no ano seguinte Badman venceu a prova com uma diferença de 15% em relação ao mais rápido dos homens no mesmo dia.


Wellington esta trazendo o triathlon das mulheres para onde ela deve estar.

Então vamos usar o registro dos homens como referência. Pode haver variações, é claro, mas faremos uma média. Usaremos 3% para cima ou para baixo para variações dos anos, como disse existe ventos e calor no diferentes anos em Kona


Em 1996, Luc Van Lierde da Bélgica venceu a prova com 8:04:08, que ainda permanece como o de recorde da competição até hoje. Comparando-se todas as mulheres vencedoras desde 1995 , Wellington se destaca um pouco mais que todas as outras. Por que ela sempre esta mais próxima dos homens do que todas as outras mulheres

Agora, você pode ver como o triatlo feminino pode realmente estar entrando numa "era dourada", onde o "buraco" que separa os mais rápidos, parece estar diminuindo de tamanho.


De 1995 a 2008, as vencedores mulheres, estiveram com média de 12% mais lentas que que o recorde masculino de 8:04 de Van Lierde. De fato, na década de 1990, as mulheres eram, em média, 16% mais lentas que o recorde dos homens.


No entanto, Wellington foi chegando mais perto e mais perto, até que em 2009, colocou as mulheres em apenas 10,3% mais lentas que o recorde dos homens com o seu desempenho 8:54. Lembrando que o percurso mudou um pouco (no final do ciclismo e início da corrida). Isso no Hawaí .

Note que esta diferença de 10,3% é relativamente "normal". Esta diferença, fica como a média entre os homens e mulheres. Quero mais uma vez dizer que não vou continuar pensando que estas performances podem ser pelo uso de doping.

O ponto é que, os desempenhos surpreendentes Crissie Wellington não tanto ao ponto de ser capaz de vencer o homens, mas sim, Wellington já começou a realizar performances, colocando as mulheres no esporte Ironman muito próximas em relação aos homens!
Eu sei que a magnitude dessas melhorias são pequenas - 1% aqui e ali. Mas tenha em mente que, se o recorde mundial da maratona foi melhorada em 1% amanhã, seria 1 minuto e 15 segundos mais rápido. E nós não esperamos para ver isso tão cedo! Assim, Wellington realmente levou o caso adiante.

A mesma comparação, podemos fazer em umas de suas performances em outros Ironman, o que se torna mais ainda impressionante.
No caso do Ironman Arizona 2010, ela ficou a apenas 5,9% de diferença para o vencedor dos homens (Timo Bracht).
No entanto, esta pode ser uma comparação enganosa. Bracht é sim um excelente atleta, mas ele não é o melhor entre os profissionais, como Wellington é entre as mulheres. Do jeito que Crissie Wellington tem corrido, ela com certeza ainda vai ser a melhor atleta de ultra-resistência no mundo.


Vejam: Comparando o melhor tempo de um atleta numa competição de Ironman que é de 7:50:27 também por Van Lierde em 1996, no Ironman da Europa, com o tempo de Wellington na mesma prova em 2010 onde ela cravou incríveis 8:19´ , faz a diferença em porcentagem estar em 6.1%.
O que é de longe mais próximo registro de uma mulher que chegou de uma melhor performance masculina.

Ainda podemos dizer que ela tendo uma progressão gradual e natural, acredita se que ela ainda estando em um dia melhor, esse tempo poderá abaixar, e colocar a diferença entre homens X mulheres ainda mais próxima.


Conclusão -
O atleta fêmea dominante, esta fechando a lacuna em relação aos homens. A conclusão que eu desenho então, é que Wellington esta um passo a frente, por todas suas performances surpreendentes
O fato é que as mulheres ficavam regularmente na média de 14% mais ou menos atrás dos homens na década de 1990, mesmo com as façanhas Paula Newby Fraser. E posso dizer que o Ironman feminino só agora está começando a crescer em profundidade e qualidade para ser cada vez mais competitivo.

Wellington está na vanguarda dessa qualidade. Seu ano de 2010, estabeleceu um novo padrão de para triathon feminino e eu espero ver muitas outras mulheres fazendo sub-9 horas nos próximos anos. Imagino que veremos provas com mulheres competindo muito próximo da casa das 8:50 ou mais rápidas. Isso é um sinal claro da melhoria da qualidade competitiva.

Wellington é excepcional, e os pensamentos de vence la, dividem mentes tanto no masculino, quanto no feminino.
E ela ainda pode melhorar mais, então vamos rever esse assunto de novo mais para frente!

4 comentários:

Joka disse...

Karacas, imagino o trabalho q deu para traduzir todo esse texto...rs Mas valeu Ciro, muito obrigado por compartilhar conosco guerreiro.

Emiltri disse...

Isso sem contar o segundo lugar geral no Alp D'Huez 2008, onde ela chegou 1 minuto atrás do Marcus Ornellas.

A mulé é REPETACULÊ!

Triatleta disse...

Obrigado pelo artigo!

Tive a felicidade de comprovar ao vivo, em Roth 2010, a simpatia de pessoa que é a Crissie; sempre com um sorriso de orelha a orelha, ela fez questão de saudar e desejar boa sorte a todos os que estavam próximos dela na tenda dos autógrafos.
No dia seguinte, realizou a melhor marca na distância ironman...que "só" durou até ao IRONMAN Arizona.

Fantástica mulher!!!

Gina disse...

Oi Ciro,

Concordo 100% quando disse que as conquistas dela como atleta são apenas consequências dela ser em primeiro lugar uma excelente pessoa para com o mundo a sua volta....e é isso mesmo....Essa mulher tem uma história de "doação com o próximo" MARAVILHOSA....ela realmente é um ser humano especial demais.....como pessoa e como atleta...SENSACIONAL!!!

Beijos,


Gina