Coluna no site MUNDO TRI

www.mundotri.com.br




Alimentação nas diferentes distâncias do triathlon .

Por Ciro Violin 16 de março de 2010


Lembro-me do primeiro Meio Ironman que fiz, em Pirassununga 1999, sem tomar absolutamente nenhum gel, apenas refrigerante, água, e isotônico. Cheguei completamente torto. Nas competições seguintes de longa distância não entendia por que eu quebrava feio na metade do ciclismo para frente. Há apenas 3 anos comecei a entender o quanto a alimentação é importante nestas provas que praticamos, sejam elas olímpicos, 70.3 ou IronMans.

Não consigo nem imaginar como os pioneiros deste esporte faziam sem os gels, nem as barras de carboidratos… apenas se alimentando de batata assada, mel, pãozinho com queijo, goiabada, ou paçoquinhas. Penso que eles foram melhores IronMan´s que nós hoje, pois tamanha era a dificuldade de se fazer uma prova de endurance sem toda a alimentação variada que temos hoje. Deixo aqui meus parabéns a todos eles.

Para mim, muito mais do que as poderosas e aerodinâmicas bicicletas, capacetes, rodas, e bugigangas que os triatletas adoram comprar e se enfeitar; os suplementos alimentares são as melhores invenções, e são o que mais influenciam a performance em uma competição. Sou mais especifico em dizer que o gel de carboidrato é a melhor delas, pois é possível terminar um IronMan apenas consumindo esse produto.

A frase, você é o que você come, faz todo o sentido, e acrescento à fórmula :

Treino correto + disciplina + alimentação correta no dia a dia e durante a competição = Boa performance na prova.

Não só os atletas, mas toda a população do mundo deveria receber informações de como se alimentar, o que é, e para que serve cada alimento. Todos deveriam sentar-se à mesa e ter decorado na mente o que é carboidrato, o que é proteína, o que é fibra, e o que é lipídeo. O que comer aquela hora, e o quanto comer de cada coisa. O que vemos são pessoas que misturam tudo, comem demais o que deveriam comer de menos, comem de menos o que deveriam comer corretamente. Dia após dia, isso implica uma completa e desorganizada alimentação, fazendo com que as pessoas percam rendimento tanto nos treinos, quanto na vida profissional e pessoal.

Quem não sabe o que é, e nem para que serve cada alimento, deve procurar ajuda profissional com um nutricionista, mas isso também pode ser feito em livros e na internet, basta querer, ser um pouco autodidata, e correr atrás do lucro quando se está no prejuízo. Muitos sites e muitos livros abordam a alimentação tanto para atletas de fim de semana, quanto para atletas de performance.

Quero lembrar que cada organismo é único. Somos diferentes um dos outros não só na cor do cabelo, tamanho dos pés, número da camiseta, ou na cor dos olhos… somos diferentes no metabolismo e principalmente no condicionamento de cada organismo.

Cada um, está condicionado de uma maneira, e nada o impede de você querer se condicionar de uma outra maneira. O ser humano só está aqui hoje porque conseguiu ser a espécie que mais se adaptou e se readaptou durante todos estes anos de evolução.

Não existem regras definidas para alimentação. O que existe são maneiras mais fáceis e mais básicas seguindo alguns estudos já realizados. Quero dizer que… apesar de não ser recomendado, nem fazer o menor sentido…..é possível comer uma feijoada e sair para correr 20k. Basta você estar condicionado a isso.

Minhas dicas são simples:

Faça 6 alimentações diárias, sendo 3 delas principais. Se condicione comer pouco e sempre. Nunca fique mais do que 3 horas sem comer.

No treino, para se alimentar corretamente, você vai depender do tempo de exercício e da intensidade do exercício. Existem gels que duram mais, e gels que duram menos. Basta saber a quantidade de carboidrato que está escrito na embalagem, e saber quanto e em qual intensidade você fará o exercício.

Seu coração nunca mente. Acompanhe sempre a média de batimentos, e no final você saberá o quanto se desgastou. Decore os grupos alimentares para que, quando se sentar à mesa, você saiba exatamente o que esta comendo, e para onde irá cada alimento dentro de seu organismo.

Se preocupe mais com sua alimentação, às vezes é isso que está faltando para abaixar o tempo naquela competição que você está focado.

9 comentários:

Marcelo disse...

Receita de barra energetica caseira feita em 1991 por mim:Aveia integral, farinha lactea, leite em poh integral, Neston, sucrilhos Kellog's amassado, MEL, banana passa, uva passa, figo passa, ovomaltine original(nao o de chocolate), protein powder sabor vanilla(baunilha)...MISTURA TUDO numa forma ateh formar uma massa homogenea, prensa bem deixando da largura de uma Power-Bar e depois corta do tamanho que vc quiser, pode tambem enrrolar fazendo "bolinhas de dose unica". Eu nunca calculei as calorias e creio nem serem adequadas toda essa mistureba de coisas mas em 1991 era o que eu levava pra treinar...em 94 fiz o 1/2 de Porto Seguro com essa receita...eu soh acrescentaria SAL...pois tive caimbras horriveis la e ateh entao ninguem falava de sal. Gatorade era mais caro que whiskey 12 anos. Hoje estou com 45 anos pesando 100 kilos e nove IRONMANs no bolso...indo pro meu decimo com saudade daquelas barrinhas caseiras que se nao eram melhores que as atuais, pelo menos eram muito mais saborosas. Abracao e bons treinos.

Ulisses Kbelo disse...

Fala Ciro,
Concordo absolutamente.
A tendência natural do triathlon é vc começar por provas curtas e ir para provas longas conforme vai chegando a experiência. Eu fiz ao contrário. Fui logo para meio Iron e Ironman com apenas um short nas costas e nenhum olímpico. Muitos me chamam de louco porque fiz isso e talvez tenha sido mesmo. Mas uma coisa é fato: se não tivesse feito isso, jamais teria procurado uma nutricionista esportiva (excelente por sinal) e talvez hoje não teria evoluído tanto no esporte em tão pouco tempo. Tenho certeza que o maior responsável por isso foi este entendimento alimentar exatamente como descreveu no Post.
É uma pena que tenhamos tantos triatletas com potencial, mas que ainda não entenderam esta importância e acham que uma vida de exceções à mesa não fará diferença.
Abraço e sucesso!
Ulisses

Joka disse...

Show Ciro, muito boa e sua explicação !!! Hj somos privilegiados por ter a informação que necessitamos, basta querer ir a busca. Bons treinos man !!!

Anônimo disse...

Grande Ciro.
Sou fã do seu blog....Poderia me passar seu email para trocar umas ideias? Grande abraço.
Sandro W.

Ciro disse...

Olá Sandro W
Como vai?
meu email é civiolin@hotmail.com

Grande abs e obrigado
ciro

Rodrigo Massoni disse...

Com certeza nutrição faz toda a diferença, muda seu rendimento nos treinos, nas provas e na qualidade de vida (não ficamos tão moidos para os outros prazeres da vida fora os treinos!).
Sempre me preocupei com isto desde o começo, mas mesmo assim dei certo com umas coisas e outras não, até hoje estou aperfeiçoando minha nutrição em provas longas, pois só no gel e barrinha depois de quatro horas já estou com estomago embrulhado, dai começa a entrar o conhecimento sobre para o que serve cada grupo de alimento, para a gente ir criando receitas caseiras que dão certo e resolvem nossos problemas.

Anônimo disse...

Prezado Ciro,
Qual marca de gel voce usa e para um Short, o que vc recomenda e em que ponto da prova?
Abraços
Rogério

Rafael disse...

É isso aí.
Se ainda não pode pagar um nutricionista, leia um livro, consulte a internet (mas com bom senso para não acreditar em tudo quanto é loucura), faça seus próprios testes in loco, converse com amigos.
Só acrescentaria mais uma frase: uma adequada alimentação não trará somente melhores rendimentos nos treinos, mas também uma melhor qualidade de vida.

Ciro disse...

Olá Rogério:

Vc pode tomar qualquer um dos gels numa prova de short.
Vc apenas precisa saber quanto tempo vai durar sua prova e qual intensidade vc irá fazer.

Um GU dura com certeza a prova inteira
VO2 ou CarbaUp dura de 30 a 40 min.
O Eccel gel dura a prova inteira tb.
O power bar dura 50 min

Isso acontece comigo em alta intensidade.OK??

Para garantir, pode tomar um GU no sabor JustPlan que vc fará muito bem a prova.

abs
ciro