Federação de Triathlon de Minas Gerais

Os TRIATLETAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS,
desejamos expressar nossa perplexidade com o tratamento que nos vem sendo dado pela esmagadora maioria da imprensa mineira, após os trágicos acontecimentos ocorridos nas duas últimas competições realizadas no Estado, e que contaram com o reconhecimento e/ou a organização da Federação de Triathlon de Minas Gerais – TRIMINAS.

Lamentamos profundamente a morte de nossos colegas Breno Cardoso Rebehy e Edmundo Alves da Costa, ocorrida naquelas competições e causadas por problemas cardíacos, mas nos colocamos em apoio incondicional à TRIMINAS porque sabemos, como praticantes do esporte que somos, que todas as normas de segurança foram adotadas naqueles dois eventos, sendo que no último os padrões internacionais certamente foram facilmente ultrapassados. Esse fato é também reconhecido pelas autoridades de segurança, tanto no que se refere à organização, quanto ao acompanhamento da prova.

Fato que nos entristece e nos deixa indignados, contudo, é sermos chamados coletivamente de insanos, irresponsáveis e até de suicidas em razão do esporte que praticamos. É ver o esporte ser jogado às moscas pela imprensa televisiva, escrita e falada, sem que nos seja dada a oportunidade de mostrar nosso ponto de vista.

No dia 05/04 último houve em Nova Lima a mais importante competição de triathlon do país, e não vimos, nos dias antecedentes à competição, sequer uma chamada de 5 segundos na imprensa (exceção feita à rádio patrocinadora) sobre o evento que estava por ocorrer. E certamente também não veríamos nenhuma reportagem nos dias seguintes ao evento, caso não tivesse ocorrido a morte de um dos competidores, pois não se viu ali nenhum representante de nenhum canal de imprensa para cobrir o evento.

Parece-nos um contra-senso a imprensa mineira se arvorar de defensora da saúde pública e contra o triathlon, porque é ela mesma quem, por exemplo, promove, incentiva, patrocina e divulga a não poder os inúmeros “festivais de botecos” que existem no Estado, durante os quais doses cavalares de álcool e tabaco são consumidos sob o aplauso dos meios de comunicação e o êxtase de grandes corporações.

Então porque não chamar de suicidas,
os botequeiros toda vez que der entrada num hospital um caso de cirrose hepática, ou câncer de pulmão?
A juventude mineira certamente não está se perdendo no triathlon!
Não no triathlon!!

Sabemos dos riscos envolvidos não apenas nas competições das quais participamos, mas no dia a dia do nosso treinamento. Assim como há risco na prática de outros esportes, ou profissões, há risco na prática do triathlon. Mas praticamos o esporte faz com foco em valores nobres, assim como um policial enfrenta o crime, ou como um botânico adentra numa floresta inexplorada.

Todos estes não estão arriscando suas vidas por serem insanos, irresponsáveis nem suicidas. Todos estes desejam passar valores positivos ao restante da sociedade; é isso que move a todos!

Pedimos à imprensa mineira um real incentivo ao esporte. Não apenas cobrindo os eventos, mas disseminado a necessidade de se respeitarem os ciclistas nas vias públicas, ou promovendo efetivas campanhas para a despoluição da Lagoa da Pampulha, por exemplo.

Mas, se não se desejarem o crescimento do triathlon em nosso Estado, então que pelo menos não nos atrapalhem como sua reportagens sensacionalistas e sem conteúdo. Conhecer antes de divulgar é o que se espera de um meio de comunicação responsável!

Encerramos este manifesto pedindo a Deus que acolha nosso irmãos Breno Cardoso Rebehy e Edmundo Alves da Costa em bom lugar; que ilumine as mentes daqueles de sem qualquer justificativa nos oprimem e agridem; e que nos ajude a fazer o triathlon prosperar mais e mais em nosso Estado.

Belo Horizonte, 07 de abril de 2009.

2 comentários:

Edson disse...

Gostaria de manifestar meu apoio aos guerreiros do Triathlon. Fatalidades podem ocorrer dentro de qualquer esporte, ou já não vimos jogadores de futebol tendo ataques ao vivo? O Triathlon é um esporte nobre como é o atletismo a natação e o ciclismo. Espero em breve participar de provas deste esporte facinante.
Adiante amigos

Acampamento Maanaim disse...

Estava fazendo uma pesquisa sobre o triathlon em MG evi esse manifesto, concordo emgenero numero e grau com voces, muitos sabemos que o esportelivra do mundo das drogas e mortes durantea pratica esportiva acontece em varios, mas a imprensa nao divulga, assim como em 2007 na voltainternacional dapampulha tive noticias de dois obitos um pordesidratação e outro por complicações cardiacas, as duastiverão motivo o calor altissimo no horario da prova,horario esse atrazado pois estava sendo transmitido afinal do jogo de volei, que foi para o 5ºset, pela mesma emissora que mostraria a largada,atrazou o jogo e assim atrazou a largada e a temperatura almentou muito. fica uma pergunta, se a largada fosse realizada no seu horario previsto teriamos tido as duas mortes? reforçando que uma foi por desidratação( calor exessivo). abraços para todos os praticantes do triathlon e demais esportes.