Simples assim 2







obrigado ao André , pelo vídeo



No outro post... SIMPLES ASSIM...

...um anônimo (Ice) colocou o seguinte comentário:

"Simples assim, se você nasceu com os genes certos para isso. Se for um simples mortal, pode treinar até a exaustão que nunca vai chegar nem perto da metade do que esses caras fazem."

Minha resposta é:

Não jogue para seus pais, muito menos para seus avós, nem para seus bisavós, nem para seus tataravós, e nem para seus tataravós dos tataravós, a RESPONSABILIDADE da SUA INCOMPETÊNCIA.

É muito fácil falar: "EU NÃO TENHO GENÉTICA".

Vc não tem genética???

Ah tá...

Se vc não consegue realizar algo, é por que:
Vc é acomodado.
Vc é desorganizado.
Vc não prioriza o que faz.
Vc não tem vergonha na cara.
Vc não tem, é vontade de fazer nem realizar algo.... Aliás... ter vontade é pouco.... precisa desejar.

Quando vc desejar muito alguma coisa.... aí sim vai trabalhar duro, se dedicar e se abdicar para conseguir algo....... e eu não estou falando só de esporte

E digo mais:

Não coloque os méritos dos feitos das pessoas, apenas na árvore genealógica dela.
Quem tem tem vontade primeiro....... se disciplina........ e depois trabalha duro para conseguir.

Como o Haile, no vídeo....... existe também bastante gente.

São poucos, comparados com 7 bilhões de Humanos ....... mas tem bastante gente que faz.

Qualquer um,  consegue algo quando deseja.

Como já dizia Albert Einstein:

“Existe uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atômica: 
A vontade.”

38 comentários:

Deco disse...

SIMPLESMENTE PERFEITO...
É BEM MAIS FÁCIL MIL DESCULPAS, DO QUE UMA UNICA ATITUDE.

Aninha disse...

Sem palavras...
Apesar de já estar cansada de saber o seu ponto de vista, sua filosofia... este post realmente ficou espetacular!!!
Ah! Sim... Como já diziam Lauter e Cali... A génética é fundamental...Fundamental para se ter a disciplina!!!
Acredito sim que esforço está sim muito acima da genética!
Como vc sempre diz: "só depende de vc!"

Pimenta disse...

Como diria Napoleon Hill: "na vida ou você tem resultados ou tem DESCULPAS". Parabéns, Ciro, pelo seu posicionamento. Estou no triathlon há 1 ano e admiro seus resultados e também seus textos. Farei meu primeiro Internacional depois de alguns shorts e muitos simulados. Nos vemos lá, e boa sorte no Profissional.

Unknown disse...

O esforço é primordial, mas a genética não pode ser descartada

Julio Cesar disse...

Ô Ciro, entao sua teoria é a de que treino resolve tudo ? Então se o Haile treina 220 km por semana basta eu treinar 250 km pór semana pra bater os tempos dele ? Você já é meio velho e devia ter aprendido: Genética é destino. O Haile, o Phelps, o Cielo, o Bekele, o Romário, o Marilson.. podem ficar 1 ano sentados no sofá e se vierem comperir com a gente vão nos dar um baile mesmo que tenhamos treinado todos os dias em que eles ficaram no sofá. Essa conversa de treino , superação e bla bla bla é boa pra gordinho perder peso, mas não funciona no alto rendimento.

Rodrigo disse...

Resultado não é só dedicação, se assim fosse não teríamos variabilidade. Isto em tudo, ou vai dizer que aquele atleta que fica de fora de uma final olímpica por milésimos de segundo se esforçou menos que o campeão ?
Se fosse simples assim, Austrália, EUA, canada e etc não fariam testes e mais testes em atletas para saber em qual modalidade ele se dará melhor. Bastava um bom trabalho psicológico para que o atleta tmantenha-se focado e assim treinasse muito. Pronto, temos o segredo para ser campeão.
Concordo com o que disse para quando queremos nos superar, vencer nossos desafios. Mas para vencer o atleta, o concorrente ao lado, não podemos desprezar outros diversos fatores.
Parabéns pelos seus resultados, acho que vc achou a sua formula e no seu caso, somando todo seu foco, esforço, deteminação está sendo suficiente para ganhar de muitos outros que podem estar treinando tanto quanto você...
Boa sorte em Santos
Abs

ciro violin disse...

Começo minha resposta com uma frase anônima:

"Sem saber que era impossível, fui lá e fiz"

Não sei quem escreveu, ou quem falou isso.... mas acho que pode resumir o que o Julio Cesar e o que o Rodrigo questionaram.

Mas digo que SIM!!
Minha teoria é de que quem treina mais do que o outro, sempre vai se sair melhor.

Em esportes como natação, ciclismo e corrida, e alguns outros... NUNCA!!!!!
Eu disse NUNCA!!!!!

Nunca ninguém é melhor do que um outro alguém.

Existe o contemporaneo.
Existe o ATUAL.

Em esportes como a corrida, a pessoa -ESTA- melhor que os oponentes por que esta numa fase melhor.

Treinar mais, NÃO significa apenas quantidade de km, e sim um equilíbrio de situações, além de sequência de anos e anos

Mas digo que SIM.
Se o Haile treina 220km por semana DE MÉDIA!!
DE MÉDIA!!
DE MÉDIA!!

... e vc treinar 250km por semana de média, É CLARO QUE VC ESTARÁ MELHOR QUE O HAILE.

É CLARO!!

MAS É AÍ QUE ESTA A CHAVE DA QUESTÃO.

COMO SE MOTIVAR A TREINAR 250KM POR SEMANA DE MÉDIA DURANTE 15 ou 20 SEMANAS????????????

COMO??????????

QUERENDO MUITO...

TENDO A VONTADE...

TENDO O DESEJO...

SE VC TIVER DESEJO, VAI SE DISCIPLINAR, E SIM, VAI CORRER 250KM POR SEMANA, E SIM, VAI SER MELHOR QUE O HAILE.

Deco disse...

SE O ASSUNTO VOCÊ SOMENTE "GENÉTICO" TODA A FAMILIA (IRMÃOS)DE O Haile, o Phelps, o Cielo, o Bekele, o Romário, o Marilson.... ESTARIAM QUEBRANDO RECORDES MUNDO A FORA.
PARECE MEIO OBVIO QUE O PHELPS DESENVOLVEU A AMPLITUDE DOS BRAÇOS PQ FICO HORAS/DIAS/ANOS NADANDO, BRAÇADA APÓS BRAÇADA, MEDE O BRAÇO DO IRMÃO DELE, OU DO PAI, OU DO AVÔ E CONTATA SE TÊM A MESMA AMPLITUDE!

Unknown disse...

O Romário nem treinava.

"Treinar pra que? Se eu já sei o que fazer!"

Ainda assim foi eleito o melhor do mundo.

o irmão do Phelps pode não ter a aplitude mas se treinar pode conseguir com maior facilidade de outra pessoa.
Abs.,
Ronald

Rodrigo disse...

Quanto mais melhor? Não sei, acho que quanto mais qualidade melhor. Porém estarei melhor do eu estava ontem e não necessariamente melhor do que o meu oponente.
Numa prova de natação posso estar a frente e um erro de chegada ou virada perco a prova, isso não quer dizer que me esforcei menos, muito menos que dizer que errei porque não treinei.
Outro exemplo que nem sempre o esforço quer dizer resultado. Crianças estudando para uma prova podem assistir a mesma aula, com a mesma vontade, estudar pelo mesmo livro em casa pelo mesmo tempo e não vão tirar a mesma nota. Porque? Porque somos únicos, temos que respeitar a individualidade de cada um. Cada ser responde de forma diferente a um mesmo estimulo. Somos únicos. Não existe receita pronta. Reforço que para cada um existe uma melhor forma. Temos que achar a nossa. Temos que nos reinventar a cada dia, adaptar-se. Treino é adaptação a um determinado estimulo, o que náo quer dizer que meu corpo terá a mesma adaptação do seu. discussão filosófica e sem fim.

Daniel disse...

Creio que existe o fator genético, mas o AMBIENTE é muito mais importante, me explico em dois momentos:

-----------------------------------
Momento 1:

Uma criança de cinco anos de idade, que tem um pai triatleta amador, e uma mãe corredora (que necessariamente não são profissionais, podem ter sidos obesos e sedentários no passado e ter encontrado no esporte a qualidade de vida que queriam);

Essa mesma criança que foi incentivada e conviveu com o esporte desde sempre, que o pai colocou pra aprender a nadar nessa faixa etária e nunca mais parou, que o pai incentivou dando uma bike speed na adolescência, e essa criança cresceu treinando bem, eu pergunto:

Essa criança vai ser esportista (mesmo que amadora) ou vai ser um gordinho sedentário?

-----------------------------------
Momento 2

Hoje tenho 24 anos de idade, e estudo Piano desde os 6. Desde criança fiz praticamente só isso, praticava durante horas, em consequência não aprendi a nadar na infância, fui correr uma prova de 10Km com 22 anos só, enfim...

Meus pai era Torneiro Mecânico e minha mãe costureira (com um mínimo de conhecimentos musicais), antes de eu frequentar esse mundo eles nunca tinham visto um concerto, hoje quem faz os concertos e recitais é o filho deles.....

Não sei como explicar usando o fator genética o que faço da vida, mas acredito piamente em treino e milhares de "horas de vôo".... esse é o único jeito de ser bom em algo....

Julio Cesar disse...

Bah, suponhamos dois garotos de 15 anos que com pouco ou nenhum treino especializado correm 5.000 mt, um pra 15 minutos (parece que o Marilson corria um pouco abaixo disso aos 15 anos) e outro que faz 22 minutos. Segundo sua teoria o garoto que faz 22 minutos nos 5.000 aos 15 anos, se ele treinar muito ele vai superar o garoto que faz 15 minutos...
Nem com reza braba e ebó na esquina.

Aninha disse...

É por isso que "resultados passados não lhe garantem resultados futuros"...
O que vc já fez... Pode lhe servir de base... Mas, se ficar sentado no sofá, com certeza, não chegará em lugar algum,e verá quem vc menos espera chegando muuuuiiiito na sua frente!

Rodrigo disse...

Deco. Você esta fazendo uma analogia a lei de Lamarck, comprovada a mos de estar errada. Me desculpe, mas mesmo entre irmãos gêmeos umivitelinicos os genes não são exatamente iguais. Grande bobagem o que você está dizendo

ciro violin disse...

Olha...
desculpa, mas finalizo a discussão.

Vcs estão confundindo as coisas.

Respeito a opinião de vcs, apenas não quero discutir...

Falar que o outro ganhou por que ele tem genética, é dopado, que não trabalha, que tem a melhor bike, que tem mais dinheiro... e mais um monte de outras desculpas, É FÁCIL, CÔMODO, e gera discussão na pizzada de domingo a noite.

Tirar a bunda do sofa, deixar o pote de sorvete de lado e correr (literalmente) atrás de algo importante pra vc... isso sim é difícil.

LEMBREM SE QUE A DISCIPLINIA VENCE A GENÉTICA EM QUALQUER SITUAÇÃO

ciro violin disse...

Mas claro... respeito todo mundo.

Não quero brigar com ninguém , ok?

Abs e a todos, obrigado por opiniar e por visitarem o blog

Nilton disse...

""suponhamos dois garotos de 15 anos que com pouco ou nenhum treino especializado correm 5.000 mt, um pra 15 minutos""

Cara... de onde você arrancou esse exemplo?

Você tem noção do quanto é difícil correr 5k para 15 minutos?

""com pouco ou nenhum treino"" ninguém no mundo conseguiria correr 5k em 15 minutos.

Isso é imposível!

Para correr 5km em 20 mintutos, já precisa de treino, e treino especializado.

nota zero pro exemplo

Max disse...

Acredito que a genética influi na medida em que ela impõe um limite físico - você pode melhorar sim, mas além daquele ponto não tem como passar. Negar esse limite não muda o fato de que ele existe, e influi decisivamente na carreira de qualquer pretenso atleta profissional.

O esforço é o que vai dizer quanto um atleta vai percorrer no caminho entre a sua base e o seu limite (imposto pela genética, não pela sua atitude mental ou disposição física).

Campeões mundiais de qualquer coisa são o resultado da sinergia entre genética privilegiada e dedicação, paixão, esforço.

Nesse contexto, a genética é como se fosse um diamante e o esforço é a lapidação. Por outro lado, se o cara nasceu mais pra granito, ele pode até ficar polido e bonitinho, mas nunca vai chegar perto do brilho do diamante.

Já os diamantes...esses muitas vezes mesmo sem preocupações com a lapidação acabam se dando bem. Basta dar uma olhada na história de Fausto Coppi - ele era tão bom, tão bom, que durante muito tempo a briga do pelotão era para ver quem chegaria em segundo (e eu garanto que todos os "segundos" se esforçavam ao máximo nos treinos e nas provas para chegar em primeiro). Enquanto isso, Coppi gostava mesmo era de um bom vinho, festas e boa vida.

Resumo da ópera I: quando o cara nasce pra coisa, mesmo sem muita dedicação acaba dando na cabeça (falando de resultados objetivos) de quem sem mata de treinar.

Resumo da ópera II: não há como negar a nobreza no esforço do atleta que mesmo sabendo que nunca será um campeão continua treinando duro hoje para ser melhor do que foi ontem.

AnaMaria disse...

Para se chegar a conseguir correr 250 kilômetros em uma semana, é preciso ser atleta a muito tempo.

Eu chuto por baixo, que um pedestrianista precisa de pelo menos 7 ou 8 anos treinando a fundo, tendo vontade e disciplina para ir aumentando os treinos até chegar a marca de 250, ou 220, ou que seja 200 kilômetros na semana, e depois ter pernas para aguentar mais semanas seguidas com essa mesma carga.

Acho que não temos saída.
A pessoa pode ser o Ser Humano perfeito para tal esporte, mas se ela não querer levantar da cama para treinar, nunca vai conseguir nada.

Culminamos no que o Ciro disse:
É preciso ter vontade prmeiro.
Ponto final

Nilton disse...

``Deus ajuda quem cedo madruga´´

já dizia a frase

Max disse...

Ciro, esse teu blog é o Octagon do triatlon nacional hehehe....

Joka disse...

Chocante, irado !!! Perfeito Ciro !!!! Grande abrax

Julio Cesar disse...

Nilton, aí é que está: quem tem genética favorável pode correr 5.000 mt perto de 15 min sem treino. Aposto que se pegarmos 50 garotos quenianos alguns deles correrão pra perto de 15 min. já pra nós que não temos genética favorável precisamos contratar até treinador e fazer periodização se quisermos correr pra 20 minutos. Na prática estaremos treinando mais do que quem tem genética favorável, e continuaremos a correr muito mais devagar do que eles.

Emerson disse...

Eu só tenho uma pergunta em relação à este assunto: Se o Chris Lieto treinasse mais corrida conseguiria vencer o Crowie no Havaí? Ou vencer no Havaí? Minha resposta: Ele não nasceu para correr a maratona para 2h45min, por isso, mesmo com muito treino e motivação, dificilmente venceria (ou vencerá)em Kona.

Marlus disse...

Não acredito em genética...

Suor.. paixão.... vontade...

Falou tudo...

ciro violin disse...

Se uma coisa a genética explica, é que todos os Seres Humanos nascem com genes predispostos para correr.

Se estamos aqui hj, é por que a corrida ajudou na evolução.

Isso é fato.

O Chris Lieto gosta é de pedalar, não de correr

Já li matérias que dizem que o pico de corrida dele é de 100km/ semana.

A Aninha corre 100km por semana no pico.

Ele não nasceu pra correr????

Digo que ele NÃO quer correr, quer é pedalar.

Por tanto.... levanto as mãos junto com o Wagner do Mundo Tri para a campanha:

Chris Lieto para o PRO TOUR!!!

Marcelo Halas disse...

Haile Gebrselassie conta a história de sua vida e depois vem um e outro falar de genética???
Genética o caramba!!! Quero ver nós aqui no Brasil levar uma vida igual a dos Africanos!!!
Desde criança (TUDO A PÉ), ir a escola, trabalhar, brincar, TUDO A PÉ!!! Quero ver a galera que falou de genética se vão a pé pelo menos fazer alguns deveres do dia, nem a pau, já vão dar um monte de desculpas para não fazer nada a pé!!! Vão falar que precisa ter genética!!! Quanto menos treinar 220km na semana hahahaha... GENÉTICA O CARAMBA!!! Essa galera não tem noção o quanto esse cara sofreu para chegar onde chegou, todos os africanos estão acostumados a SOFRER isso sim, sobra atletas na África, só de levar a vida que eles levam são todos atletas!!! GENÉTICA??? NÃO... muito sofrimento isso sim... VAI TREINAR GALERA VAI!!! OU MELHOR VAI SOFRER VAI!!! GENÉTICA SEM TREINAMENTO, OU MELHOR SEM SOFRIMENTO (NÃO EXISTE)...
Vários africanos vem morar no Brasil, acostumam com esse vidão que a gente leva, engraçado como a genética some!!! Ficam até obesos!!! Kkkkk...

Ironman 2012 !!! disse...

Essa discussão e longa... vejo ela desde moleque quando nadava... Acredito que a genetica faz SIM diferença, mas APENAS num momento(na capacidade de manter-se em alto nivel e sem lesionar-se, aquilo que o atleta alcança com seu proprio esforço fisico e mental)... existem pessoas abençoadas que seu corpo reage bem a tudo que foi imposto e nao lesiona, ISSO SIM E GENETICA !!!
O alcance daquilo e fruto de muito treino(qualidade e quantitativo) e psicologia interior.

ciro violin disse...

concordo!!

Arthur Ferraz disse...

A falta de definições concretas é a principal arma do troll(achei outro dia no google, é o cara que entra nas discussões da net só pra tumultuar) para falar o que quiser.
Então vamos por partes. Primeiro os genes definem o que somos: Homens ou mulheres, altos ou baixos, olhos claros ou escuros.
Parando por aí, onde está a diferença?
1- homens tem mais massa muscular que mulheres
2- Caras altos tem maior envergadura e amplitude de passada que os baixos.
Voltando ao tema, em algum aspecto genética tem sim influência. Com o MESMO TREINO homens tendem a correr mais, com A MESMA TÉCNICA(frequência de braçada e força aplicada, além da técnica em si) caras mais altos vão nadar melhor que os mais baixos.
Outros fatores que estudos tem demosntrado que a genética influencia no corpo (NÃO NA PERFORMANCE)tipo de fibra muscular, VO2 e remoção de lactato.
Nestes casos COM O MESMO TREINO, caras com uma genética melhor se sairíam melhor (nenhum estudo mostrou o quanto na hora da final olímpica ou do mundial, apenas em testes na esteira ou dentro do laboratório).
O que não podemos confundir com genética é o trabalho de uma vida toda (toda mesmo). Se eu nadar mais que o Cielo (em volume e intensidade, ou até mesmo em qualidade e acompanhamento do treino com o Albertinho) eu vou ganhar dele? Nuca, ele faz isso desde os 5 anos de idade, desenvolveu musculatura, técnica, tem milhares de horas na piscina e isso sim faz muita diferença. A diferença dele para o Bousquet ou para o Fratus é genética? Duvido, talvesz na altura e na cor dos olhos.
O mesmo acontece com os etíopes e quenianos. Com certeza tem uma história de treinos (qualidade e quantidade) melhor do que o Marílsson ou o Vanderlei. Agora mais uma vez, quem começou a correr com 18 anos ou 24, nunca vai correr como eles.
Mas é besteira (e muitas vezes desculpa, e trollagem) ficar comparando um cara que começou aos 20 com o campeão olímpico só pra dizer que genética faz diferença.
Comparemos um cara que levava jeito aos 20 quando começou e um cara que não levava mas treinou muito, comparemos um cara que já ganhava provas ou já era profissional com 20 e outro que começou e treinou pra caráleo durante 10 anos. Aí com certeza veremos sempre que a grande diferênça é mesmo o treino a dedicação e o sacrifício.
Os EUA, a Austrália e agora a GBR são grandes potências porque tem grandes programas de desenvolvimento do esporte e treinamento e não porque tem grandes programas de detecção de talentos.
E para finalizar uma pergunta: Caras que foram grandes fenômenos como o Coppi, citado pelo Max, se colocássemos ele agora no pelotão do pró tour, na forma que ele tinha na época, ele venceria novamente? Os tempos da natação nos mostram que não, que a evolução do treinamento faz um nadador mediano de hoje nadar mais do que um campeão olímpico do passado, ou seja se no passado um cara mediano que treinasse como treina hoje poderia ter sido campeão olímpico.
Por isso temos sempre que ter em mente histórico, condições, dedicação e um pouco de predisposição sim, mas como as provas não são vencidas em esteiras, laboratórios ou tuneis de vento que vai dizer que não adianta tentar vencer a genática?
Abraço
Arthur

ciro violin disse...

É...

blz...

Faz sentido.

O grande problema é que NUNCA vamos conseguir medir o quanto uma pessoa QUER mais do que a outra.

Eu seria estúpido de dizer que a genética não influencia... eu sei que influencia, e como influencia!

Mas, o que eu quero deixar bem claro, é que antes de qualquer coisa, existe a vontade de levantar da cama.

Se vc tiver genética melhor ou não.
Se vc tiver o melhor treino.
Se vc tiver o melhor meio ambiente de treino.
E , ou muitos outros fatores em pró de um bom desempenho.... NADA disso adianta se vc não levantar da cama de manhã.

Cada um gera a sua motivação.

Treinos e mais treinos, principalmente os de endurance, são doloridos sim, são duros sim, mas acabam entrando numa certa inércia depois de um determinado ponto.

O fator motivação, vai ser o que manda.

Se motivar a ir e ir, e ir, e ir, e ir, e ir.

Ou seja... vontade

Não estou aqui, apenas falando de atletas virarem campeões mundiais em seus erspectivos esporte...

Estou falando sobre qualquer atleta que queira se superar.

Tem um monte de gente que nem começa a tentar, por que acha que sua genética não é boa para tal fim.

Na verdade essa pessoa é um acomodado, e gosta é de dar desculpas para tudo.

NegoMarcos disse...

Ciro Violência [kkkkk]: corro mal, mas vou morrer tentando melhorar.

Bicho, eu que sou famoso por ser "azedo" estou tentando ser mais aprazível. Mas fico feliz que meu espaço de "dar nos dedos" foi ocupado por um cidadão muito mais competente! Abração!

Max disse...

Arthur,

não concordo com o seu raciocínio em um ponto: a comparação de atletas no presente ou no passado deve ser feita com os recursos disponíveis para todos.

Com relação ao Coppi, ou a qualquer outro atleta que foi grande no passado e não passaria de mediano para padrões de hoje, o que vale é a comparação com os que tinham os mesmos recursos à época. Colocado de outra forma, se o Coppi começasse a pedalar hoje, é provável que a distância entre ele e os demais se mantivesse no mesmo patamar porque fisicamente ele tem aptidões, ou recursos, superiores aos do resto do pelotão.

E se levássemos o Cielo para os temos do Weissmuler, com os recursos da época, duvido que ele fizesse o que faz hoje.

Então, se igualadas as condições, tudo volta ao original.

E ainda sobre a genética, se ela não desempenhasse um papel importante (mas logicamente não definitivo) seja no desempenho esportivo, intelectual ou em outras características seletivas, não haveriam tantos olhares compridos e mal-intencionados na direção de manipulações genéticas, e os nadadores de escolas do leste não seriam "convidados" a praticar com mais afinco um determinado estilo, ainda crianças, com base em sua morfologia.

Agora só falta alguém dizer que o moleque de 5 anos ficou com os braços compridos e o tronco curto depois que começou a assistir provas de natação na ESPN.

LODD disse...

Bom...

Então ta fácil... Se aptidão é tudo, pra que prova? traz um laboratório pra linha de chegada e distribui as medalhas de acordo com genética, massa muscular, vo2 e etc..

A beleza do esporte, em qualquer nível que seja é que a história do David e Golias está sempre pronta pra ser repetida! Zebra, diz você? preparação e oportunidade digo eu.

Se genética realmente mandasse alguma coisa, eu ia voltar pro boteco!

Abs

LODD

Arthur Ferraz disse...

É muito mais fácil encontrar um atleta pré disposto geneticamente do que encontrar um atleta disposto a se matar de treinar, sofrer e sentir dor até se tornar o melhor.
Por isso existem tão poucos campeões.

Danilo Pedal disse...

Um filme interessante que cai muito bem com o debate é Gattaca - Experiência Genética. É uma ficção científica. Não estou tomando partido de A ou B, mas este filme confronta genética x dedicação. Assistam e talvez possa ajudar a tirar suas próprias conclusões. Mas não se esqueçã, é uma FICÇÃO...

Julio Cesar disse...

Realmente não precisamos de genética favorável pra sermos atletas amadores, correr provinhas da Corpore nos domingos, se arrastar num triatlo, fazer um treino de 150 km de ciclismo e achar que somos ciclistas...
No alto nível o papo é outro. Todos treinam igual, todos têm a mesma garra e foco, inclusive por causa do $$$$, todos têm o organismo geneticamente preparado para aguentar altíssimas cargas de treinamento semanal. Vai se destacar sim quem tiver a genética mais favorável para seu esporte. Esse papinho de treino, dedicação, perseverança e bla bla bla me soa como livro de auto-ajuda, isto é, pode ajudar os mais fraquinhos da cabeça e com vontade mais fraca.

Pablo Dickinson disse...

Sabe Ciro o q eu vejo por ai é q tem muita gente q acha q uma corridinha ou uma pedalada de leve só na avenida já é treino....poucos realmente suam a camisa.

Acredito q a genética ajuda, mas concordo com vc, TREINO é tudo e motiviação tb.

De desculpas o mundo tá cheio.