Texto da revista do MundoTri - Agosto

Prova de OFF Road:

Tudo tem um começo.

Isso é fato, e obvio.

Nosso esporte, muito antes de ser formado juntando as três modalidades (swim-bike-run), era praticado cada modalidade individualmente.

Muito antes de termos competições individuais de cada esporte, eles eram apenas praticados por praticar.

E quando eram praticados apenas por praticar, eles eram feitos nas estradas de terra.

Claro que a natação não, mas o ciclismo e a corrida começaram a ser praticados nas estradas de terra.

Com o progresso do Homem, a pavimentação veio, e o ciclismo e a corrida evoluíram junto migrando quase que 100% para o asfalto. Essa foi uma tendencia natural.

Mas a alguns anos o esporte off road vem ganhando espaço novamente.

Muitas bicicletas MTB estão rodando por aí, e muitas provas -em terra- estão sendo organizadas.

Realmente o esporte off road tem algo especial, pois é praticado ao lado da natureza, em bosques, florestas, plantações, fazendas, onde é possível ver animais, córregos, rios, cachoeiras... estar integrado com o ambiente, em paz e harmonia.

Existem muitas corridas do tipo tracking e muitas provas de MTB, mas são as provas de Triathlon Off Road que vamos falar um pouquinho.

Essa ramificação do triathlon deu certo.

Vem conquistando espaço e adeptos em todo o mundo, e eu serei um deles.

Penso que serei um dos que vai migrar para os X Terra´s , quando me “aposentar” dos triathlons tradicionais.
No momento não, pois é um triathlon muito específico, e é necessário treinar MTB e corridas single track.

É sobre isso que quero falar:

Muita gente acha que fazer um X Terra é simples.
Basta apenas trocar a speed por um MTB, e tudo vai sair normalmente.

Coitada dessa pessoa...
Mal sabe ela o quanto difícil é praticar essa modalidade.

Treinar para Triathlons Off Road, deve se ter mais foco.

Digo: É preciso ter -ainda mais foco- do que para treinar para triathlons normais.

Com a speed e correndo na rua, você deve apenas olhar para frente.

Com a MTB e correndo em trilhas, você deve olhar para frente, para os lados, para baixo e para trás, e mesmo assim ainda pode bater a cabeça numa arvore, ou dar de frente num tronco.

É muito mais complicado fazer X Terra´s.

Os treinos são totalmente diferentes.

Você precisa saber que vai ter que empurrar a bike em alguns pontos, seja subidas ingrimes ou riachos .

Precisa saber que vai muitas vezes escorregar e cair na lama.

Precisa saber que vai estar o tempo todo sujo, com barro entrando pela boca, e olhos.

Precisa saber fazer uma manutenção básica na bike, pois depende do percurso e das condições de prova, ela pode te deixar na mão.

Precisa saber que vai estar sujeito a se ralar a todo momento, pois os tombos são frequentes, e os galhos das árvores machucam.

Precisa saber que correr na areia fofa da praia, vai te fazer nunca mais querer estar ali novamente, pois a dificuldade é tanta que você vai achar que esta “pagando seus pecados”.

Mas claro, também existe o lado bom.

Como disse, estar integrado com a natureza ao seu redor é algo inexplicável e só sabe disso quem pratica o off road.

Qualquer um pode fazer ?

SIM!

Mas deve se dedicar muito, e focar mais do que no triathlon tradicional.

Não tenho visto muitas assessorias esportivas com foco nos triathlons off road, e parece que é algo que falta no mercado.

Muitos tem se metem a fazer estas provas sem o mínimo de conhecimento, e acabam se machucando.

Esse triathlon é muito detalhado e minucioso.

Deve ser praticado com segurança e responsabilidade primeiro, e muito treino depois.

MUITO TREINO!!!

E não é qualquer treino.

São treinos específicos de trilhas na corrida, e single track na bike.

Isso não é fácil!

X Terra´s são muito legais, e só vão ganhar espaço cada vez mais.

Eu recomendo correr estes triathlons, desde que você treine especificamente para eles com responsabilidade e foco.

Nada de achar que é tudo igual, e que você vai se sair bem logo de cara.

Como em qualquer prova da família do Triathlon...... RESPEITE o evento, e se dedique para vencer você mesmo, e as dificuldades dos percursos desafiadores.




ciro violin

2 comentários:

Rafael Pina Pereira disse...

Ótima pedida ! Claro que voce deve conhecer, mas é das melhores opções, apesar de não ser exatamente triathlon, pois a natação é trocada por canoagem, e são umas 10 transições: http://multisportbrasil.com.br/

Xampa disse...

Conrad Stoltz? Pelo o que vc falou, ele que se cuide. Se vc se aposentar cedo do tri "normal" vai ser top 10 em Maui. Não duvido.
Peguei uma MTB. Estou gostando pra cacete. Inventando meus pedais malucos pelas redondezas.
Em um desses dias fui até a frente do quartel do BOPE. Subi pra cacete e em paralelepípedo.
Estou gostando muito dessa liberdade.
E confesso, uma queda por essas provas.