bonito hein ?

Nada contra alguém específico . . .

Mesmo por que podemos saber quem são, pelos números...

Mas só queria perguntar:
Por que usar bike TT, e capacete gota numa situação dessa?

Alguém pode me responder?







A foto acima é do Ironman 70.3 Brasil realizado em Penha sábado passado.



Prova a qual NÃO é permitido o uso do vácuo.




Quer fazer prova com vácuo ?

Faz prova da CBTRI


.

43 comentários:

Vander de Melo Praxedes disse...

Vergoonha!!
Engraçado que alguns atletas, via facebook, disseram que não tinha como andar nesse percurso sem formar pelotão, e na foto, tem um solitário ali atrás do pelote fazendo força sozinho e fazendo jus ao equipamento que está usando e à prova.

Xampa disse...

Ciro,
o que seria isso? Um assalto?
Assalto a quem coloca a cara no vento. Se mata na bike e na corrida?

Palermo disse...

MEUS PARABENS PELO POST CIRO.
E O PIOR É QUE O CARINHA SAI FALANDO QUE PEDALOU MUUUITO..RS QUE A MEDIA DEU TANTO E BLA BLA BLA.ISSO É UMA BAITA FALTA DE VERGONHA NA CARA!

Marlus disse...

pega o número do capacete dos camaradas e da uma olhada no tempo de pedal deles...

estranhamente todos eles tiveram um excelente tempo de prova...

parabéns a eles... porém prefiro ser honesto comigo mesmo...

Joka disse...

kkkkkkkkkkk....TA FODA CIRO !!!!

LODD disse...

Parabéns ao Waguinho pela melhor "pior foto do triathlon nacional"
Agora,prova om vácuo só da CBTri? Desculpa Cirão, mas prova do Galvão até aquathlon vai ter vácuo ilegal - não que a culpa seja única e exclusiva dele, mas é a regra!
A título de curiosidade, um amigo no twitter me disse que todos nesse BOLO fecharam o pedal entre 2h18 e 2h22... E eu me peguei pensando o quanto eu tive que treinar pra conseguir isso!!?!?
Abs

LODD disse...

Ah... E quanto a sua pergunta sobre o porque usar equipamento aero de mais dd 20mil reais? Simples, porque é "poser"... Numa situação dessas uma caloi 10 dava o mesmo efeito e até mais conforto!

Wladimir Azevedo disse...

VERGONHA TOTAL... BAIXARIA... FALTA DE RESPEITO... LEI DE GERSON... E @#$%%^& !!!

CIRO, LHE AGRADECEMOS POR ESTE POST VC É UM DOS MAIORES FORMADORES DE OPNIÃO NA ATUALIDADE NESTE ESPORTE NO BRASIL... CONVIDO VC A JUNTAR-SE NA CAMPANHA "SAI DA RODA LADRÃO !!!" NO FACEBOOK, SEGUE O LINK :

https://www.facebook.com/event.php?eid=252855534748046

Wladimir Azevedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Xampa disse...

Lodd,
um amigo pegou os tempos dos caras e deu isso mesmo 2:20 em média e tb pegou o resultado em outras provas de 40K ou mesmo no IM.
Estranhamente, eles foram muito rapidos no 70.3, deve ter sido o vento, a roda, o capacete ou a bike nova.
Só pode.
Tudo ladrão.

dalton cabral disse...

Fiz a prova... fiquei revoltado com cenas como essa.
No caso específico da foto... o que mais me pergunto é: "O que a moto com os fiscais(lá atrás, dá para ver os dois capacetes) estava fazendo aí? Pegando vácuo?"
Pergunto isso, porque ví esse pelote passar diversas vezes... e sempre com a moto do lado... e nada dele se desfazer!

Ulisses Kbelo disse...

Sou eu o cara que está escancarando a porra toda. Estou caçando essas fotos e vídeos e estou tendo o trabalho de caçar os números e resultados de pedal e postando nas redes sociais. "O Ulisses é xarope, é Joselito". Fodam-se vocês, vaqueiros. Sou honesto, sou brasileiro e não sou do jeitinho nem da picaretagem.
Esse será meu Hobby daqui para frente, achar pelotes em fotos e vídeos e escancarar todo mundo.
Ciro, valeu por ter publicado esse Post. Você é o cara.
Lodd, vamos ter que começar a fazer pedal de 2h05 nessa porra toda.
Vaqueiros do inferno!

Pablo Bravo disse...

E lá no final não seria uma moto da fiscalização da prova? Ninguém tomou uma penalização?
Lamentável ...

Guilherme disse...

Eu fiz a prova sabado até o km 18 (depois furou o pneu e tive que abandonar), eu estava acho no segundo pelotão que se formou, porém me mantendo atrás do último sempre na posição legal (10 mts, não sei se aguentaria até o fim, mas a média estava em 39,6kph) e posso afirmar a vcs que tinha um fiscal acompanhando a todo o tempo o pelote e posso tambem afirmar que ele canetou pelo menos uns 5 negos que eu vi. E no pelote que estava na frente desse que eu acompanhava, também tinha um fiscal acompanhando o tempo todo. Também nao sei se depois de começar os 800 participantes a pedalar se eles continuaram a acabar com os pelotões (acho que não), mas no começo eles estavam tentando acabar e gostaria de parabenizar a Suzana Festner, que apesar de ser engolida pelo pelotão, manteve-se sempre fora do vacuo, no tempo em que eu estava junto. Gostei da honestidade dela.
Abraço
Gui

Emiltri disse...

Vergonhoso.

1 cartão amarelo pelo vácuo e 1 amarelo por estar clipado no vácuo = 1 vermelho e fim de prova.

Sem mais....

Daniel disse...

Tem muita gente aí que só FALA que não anda na roda e provavelmente está na foto do seu post!

Sou radicalmente contra vácuo e não é só retórica. QUem treinou comigo pro IM Brasil 2011 sabe. Nem nos treinos de estrada queria andar em pelote pra treinar condições de prova.

Mas é isso aí. Sempre tem um monte de gente que quer levar vantagem, custe o que custar.

ciro violin disse...

Como já disse no blog do Daniel M. :

...não é só a organização que tem responsabilidades.

TODOS temos.

A organização (mesmo que ineficiente) parte do princípio que todos que se inscreveram são idôneos, e que todos sabem que é proibido o recurso do vácuo.

É como parar no sinal vermelho.
É regra, e as autoridades não precisam colocar um guarda em cada semáforo de cada cidade, pois na sociedade as pessoas sabem que isso é uma regra que deve ser seguida.

O que acontece nessas provas, são os próprios atletas que burlam as regras e pegam o vácuo sem a menor vergonha ou sentimento de culpa.

Agora....
Isso não é um tipo de doping??
Sim, é.
Estão trapaceando da mesma maneira

Quem anda na roda, em prova que não vale roda.... esta trapaceando.

cfportugal disse...

Mandei mensagem ontem, mas parece que não foi.

Não sou hipocrita, ja conversei isso algumas vezes, nado bem pra amador, saio na frente, tenho um pedal mediucre, só que quando faço esse tipo de prova TREINO, com T maiusculo mesmo, coisa que na realidade pouca gente faz de fato. Bom continuando, saio e se aparece pelote eu pego, sem dó, pior é que apenas uns 2 ou 3 revezam comigo na frente, chegou a ridículo de no meio de pirassununga de 2010, eu saltar do pelotão para o da frente, pois NINGUÉM QUERIA SAIR DA MINHA RODA E NINGUÉM ME ACOMPANHOU, lembrem bem, está falando um cara com pedal mediano !!!

hummmm outra coisa, TODAS AS MULHERES PRÓ, pegam vácuo, pois sempre saio entre elas da água.

Outra informação importante, isso é GERAL, se forem em foruns gringos, verão esse mesmo tipo de reclamação e discussão, logo não é cultural.

Resolver o problema é bem simples, basta colocarem um sensor em cada bike ou no próprio chip software que calcule tempo e distância, mas NENHUM organisador que fazer isso, pois não faz bem ao seu cliente (eu discordo, apesar de afirmar que pego), pois acham que o cara vai fazer denovo a prova, pois ali foi onde ele tem seu melhor tempo, acho que se todos fossem punidos, ninguém teria moral de reclamar e o critério deixaria de ser visual interpretativo, para ser matemático e técnico.

cfportugal disse...

Esqueci de comentar, cada evento tem sua regra, isso já dificulta demais as coisas, no Célio o vácuo é de 7 metros, Galvão é 15, Núbio 10, CBTRI e ITU é permitido, ou esses 4 cabeçudos brasileiros, determinam uma norma ou nada mudará, mas como no resto do mundo tb é assim, não vejo uma luz, acho que continuará sendo com motinhos e totalmente interpretativo.

Xampa disse...

Ciro,
acho que o vácuo é pior que o doping. Nos dois o cara está roubando, é fato.
Mas, no vácuo ele não tem o risco de ter um problema de saúde daqui a um tempo.

Ulisses Kbelo disse...

Ciro, em provas que vale vácuo, não significa que não é imoral ficar na roda o tempo todo. Existe vácuo, ok? Reveza! Não foi o que aconteceu comigo em uma prova e um dos caras que está nesse pelotão aí. Que deve ter batido o recorde dele numa prova de duathlon na minha roda.
Agora, quando não vale vácuo, não vale, acabou! Não tem essa de "não tive como não pegar vácuo, não tive como sair do pelotão". Vai pra frente em um tiro, volta pra trás a 10m da roda. O que não pode é ficar encaixotado ali fingindo pro fiscal que vc tá tentanto se esquivar. Esse é o esporte que optamos por fazer. Graças a um monte de gente desonesta, temos que fazer uma espécie de fartlek no ciclismo para sair dos pelote. Mas temos que fazer, ponto!
Quanto a isso caber aos atletas, nem tanto da organização da prova, digamos que esse seria o ideal em uma sociedade evoluída, talvez daqui uns 500 anos. Nessa sociedade, provavelmente, não teríamos polícia, poder judiciário, nem se quer leis e poder legislativo. Mas enquanto ela não vem, temos que ter órgãos , legisladores, fiscalizadores e executores. No caso de uma prova organizada por uma empresa privada, esse poder está na mão dela sim. Seria como tirar o árbitro de futebol e esperarmos que o jogador fale "tome a bola aqui, foi impedimento mesmo". Isso vale para qualquer esporte. Juízes estão lá por serem imparciais, não agirem com coração e não deixar o "bom senso" humano ser o fator de decisão. Acredito que temos que fazer os dois lados. Escancarar os caras que fazem isso, queimá-los total a ponto de sentirem vergonha até dos amigos, mas não deixar nunca de cobrar a organização da prova. Senão, as provas ficarão cada vez mais caras e menos fiscalizadas. Aí, acabou o esporte.

Quanto à idéia do chip que coibiria vácuo que falaram aí em cima, é uma opção. A algum tempo acompanho alguns fóruns lá fora sobre isso e pelo que sei ele não existe. Teríamos diversos problemas de custo, logístico, etc, mas tecnicamente, soluções não faltariam. Eu sou um que pagaria mais para ter esse tipo de equipamento em provas.

ciro violin disse...

Concordo com a maioria, e com muita coisa.... mas tb discordo em alguns pontos...

Mas concordo inclusive com :

"os 4 cabeçudos do triathlon "


Quero apenas chamar a atenção para o método de trapaça.

Lembrem que entrar num supermercado, pegar um pacote de bolacha e sair sem pagar, é roubo, de acordo com nossa sociedade.

No esporte, usar uma substância proibida para gerar estímulo e se sobressair sobre o adversário.... é um tipo de roubo.

Agora.... usar de um recurso como o vácuo, quando não é permitido...

... além de ficar perigoso, pois a bike TT não tem controle, o cara esta trapaceando e querendo se sobressair sobre o adversário da mesma maneira.

Eu não vejo diferença nenhuma nos três exemplos.

São pontos de vista diferentes, mas de um mesmo princípio.

Roubo, trapaça, e pessoas NÃO idôneas.

J C Goudard (Diário do Triatlheta) disse...

O VACUO rolou solto!!!

Os árbritos não conseguiam penalizar de tanto vácuo, ficaranm todos perdidos!

O local não suporta tantos atletas. Mais parecia uma prova ciclistica do que um Ironman.

V E R G O N H A ! ! !

Dudu disse...

Eu fiz a prova e a quantidade de pelotões que se formaram foi absurda! Em alguns momentos, por mais que você tentasse ficar fora do pelotão, era difícil, você não conseguia ir para frente, para trás ou para os lados. Esta foi a quarta prova de 70.3 que eu fiz e nunca tinha visto algo parecido.
Acho que o problema não é apenas dos atletas que formaram o pelote, mas também da quantidade de inscritos para uma pista tão estreita, ainda que esta justificativa tenho um peso bem menor...
Quando eu estava com algum pelotão eu não me sentia bem pois tinha uma pequena esperança de pegar vaga para o Mundial e pensava comigo: "Pegar a vaga porque estou no pelotão, não me sinto bem assim. Se eu continuar aqui e pegar a vaga abro mão dela". Eu saia do pelotão dando um tiro ou reduzindo a velocidade, mas depois era engolido por outro!
Teve um momento que tinha tanta gente grudada em mim que tive que chegar ao absurdo de avisar cone e outras sujeiras na pista para não causar um acidente.
Vander, pode ter certeza que esse solitário em algum momento não ficou solitário. Eu mesmo tenho fotos sozinho, mas nem por isso eu fiquei o tempo inteiro sozinho, como falei anteriormente, em alguns momentos era simplesmente inevitável ou impossível você ficar fora do pelote.
Ai vocês podem falar, é só diminuir a velocidade e deixar o pelote ir embora, mas quem é que quer ir devagar numa prova que você entra com o objetivo de tentar quem sabe talvez conseguir uma vaga para o Mundial???
A propósito, meu tempo de pedal foi 2h27min, bem melhor que o ano passado, mas podem ter certeza que treinei muito para isso e este foi mais um motivo para eu tentar evitar esta ilegalidade, queria um pedal fruto do meu esforço, não do esforço dos outros. Foram praticamente 6 meses de preparação e muita evolução. Aproveito a oportunidade para agradecer ao meu treinador Maurício Letzow.

Cyro disse...

Ciro,
Postei essa imagem no Face e dei os seus merecidos creditos, realmente nos temos que gostar muito deste esporte, porque voce treinar, treinar se sacrificar junto com a familia e na hora da prova ver essa vergonha e a cara de pau desses que se acham atletas, realmente esse tipo de Ladrão não pode reclamar NADA dos nossos Politicos, são tudo farinha do mesmo saco.Abraço e Parabens

3 ATHLON NA VEIA disse...

A organização de qualquer prova tem por obrigação aceitar a quantidade de inscritos proporcional à sua capacidade de administrar as regras e ponto final.
Se as condições de pista no ciclismo x qtde. de atletas favorece (ou mesmo obriga) a formação de pelotões, cabe a essa organização ter fiscais em quantidade e capacidade suficiente para desfazê-los, seja agindo antes que eles aconteçam ou distribuindo tantos cartões amarelos quantos se fizerem necessários, mesmo que isso signifique a exclusão de vários atletas "tops".
Sem a devida punição o que acontece é justamente o incentivo para que, em novas provas, se repita essa vergonha.

kid disse...

416 puxou a prova inteira este inseto
que escreveu tem que cuidar da prova dele que está medíocre vai comer glútem.
PD Grarulhos S.P

Marcelo De Marchi disse...

Olá pessoal, me chamo Marcelo De Marchi o nr. 416 do IM 70.3, é a primeira vez que escrevo aqui, tentarei ser o mais breve e objetivo possível.
Há pouco um amigo me avisou que meu nome foi citado no blog do Ciro, então vim ler...
Sou da mesma opnião de todos que ficaram inconformados com os inúmeros pelotões na prova, eu posso garantir que ultrapassei pelo menos 3 destes e levei vários chupins na roda, nesta foto eu estava a esquerda e em algum momento para ultrapassar também, mas qdo. se esta na frente e do nada um outros começam a te ultrapassar, é pq uma moto da fiscalização esta chegando..., aí do nada esses chupins resolvem colocar a cara no vento.
Sei e concordo que fica muito vago eu somente dizer... , por isso se alguém quiser ter alguma referência minha, talvez possam consultar o Max ou o Cris da Kona ( que a maioria aqui devem conhecer)
Então caro Wlademir Azevedo, antes de colocar uma foto e generalisar,(falo no meu caso) faça alguma pesquisa antes para saber se ( no meu caso) fiz algo tão diferente do que em outras provas, por exemplo, verifique meus tempos de pedal dos IM 2008, 2010 e 2011, GP Extreme e Internacional de Santos, ou outras fotos na webrun desta mesma prova 70.3 e me verá frente, ou melhor ainda:
se por acaso você tiver noção de performance em potência eu tenho meu arquivo desta prova registrando 252W normalizados, quem sabe o que é isso sabe que fiz muita força, não sou de andar no vácuo de outro.
consulte o Lodd, Ciro ou o Santiago que eles podem explicar o que é esse esforço...
Volto a dizer, concordo ser contra os chupins de roda, entendo a revolta de todos, como a minha também, porque não gostei de ficar levando esses chupins e depois sairem leves p/ corrida e me ultrapassarem lá.
Tudo que escrevi foi exclusivo do meu caso,pq meu nome arrolado no tema .

abs a todos .

Ulisses Kbelo disse...

Acho que temos que chegar a alguns consensos e envolver as organizações. Uns me dizem que é utopia, mas não custa tentar. Segue um link que todos deveriam se envolver para começar:

https://www.facebook.com/pages/Manifesto-Triathlon-Legal/141316869294970

Wladimir Azevedo disse...

Caro Kid,
estamos todos no mesmo esporte, cada um com suas pretensões e capacidades fisiologicas e técnicas. Não tenho este esporte como uma ferramenta de exibição e nem mesmo de competição com ninguem, a não ser comigo mesmo. Além de ser uma forma de ajudar pessoas com problemas celiácos que em alguns casos "desistem" de viver.

Caro Marcelo De Marchi, quero lhe parabenizar por vir aqui e colocar sua opnião. Alem disso, gostaria apenas de esclarecer que esta foto foi tirado do MundoTri e não fui eu que a coloquei aqui e claro, muito menos no MundoTri.
Com relação a sua capacidade de realizar um excelente pedal e/ou sua capacidade de manter uma potência em 252W é algo de fato a respeitar (tenho esta noção apesar de não ser um ATLETA, certo ?!) Esta listagem é resultado daquilo que esta público no site da LatinSports que nada mais, nada menos, reflete o que o a foto apresenta. Então quando este post sai com o nome "Bonito heim ?" já estão todos citados... mas enfim, não gostaria de que você que acaba sendo prejudicado pelos "espertos" vaqueiros dispense sua energia em conflitar comigo, mas foca-la em ajudar a todos os envolvidos no esporte a mobilizar para que não tenhamos estes "espertos" também no triathlon, afinal de contas, já temos muitos na politica, nas ruas, etc.

Abraços e bons treinos.

Ulisses Kbelo disse...

Marcelo de Marchi e Kid,
Aquela lista que o Wladmir Azevedo postou anteriormente com o nome de todos "no pelote", fui eu que criei e compartilhei em um outro fórum do qual fazemos parte. Apesar de alguns ali do pelote serem velhos conhecidos meus na minha roda, realmente não fiz nenhuma busca mais detalhada. Depois que expus o nome dos atletas, facilmente visível na foto, muitas outras pessoas fizeram a mesma coisa pelos fóruns do Facebook a fora. Cheguei a ficar na dúvida se era eu realmente que tinha começado com aquilo, mas como foi uma imagem gerada pelo Mundotri, caiu público, aí, já viu.
Se o Marcelo de Marchi tem essa capacidade, ok, legal. Fico feliz de saber que temos um desonesto a menos. Mas digamos que vc estava no lugar errado, na hora errada.
Sei que tem gente com pedal bom que tenta se desviar de pelotão, mas sei também que a maioria não tem capacidade para segurar um pedal forte e fica na enrolação ali e só faz uma mímica pro fiscal ver. Como minha natação é horrível e acabo compensando minha prova no pedal, como fiz na mesma prova que vc, no caso o GP Extreme, em Pira 2010 e no IM 2010, sofro com vácuo de todo lado...De nego na minha roda e de nadador que formou pelote lá na frente que tenho que buscar.
Mesmo a foto estando pública, peço desculpas em nome do Wladmir se te expus de alguma forma injustamente.

A propósito, esta prova do GP Extreme deveria ter todo mês. Ela é um divisor de águas melhor do que qualquer foto. Uma peneira natural.

Kid, aqui não é uma discussão de performance, ok? É pela legalidade ou não de atitudes no nosso esporte, independente de tempos. Ninguém tem menos ou mais direito de se indignar porque tem tempos melhores. Se fosse assim, o Ciro seria o cara que escreve as regras da WTC ehehhehe.

Vamos tentar alguma mudança através desse link do FB aqui.

https://www.facebook.com/pages/Manifesto-Triathlon-Legal/141316869294970


Abraço
Ulisses

Max disse...

O Marcelo De Marchi - que eu conheço sim - levantou uma questão interessante. Quem pedala com medidor de potência tem nas mãos uma ferramenta para provar sua honestidade. No caso do Marcelo, 225 W de potencia normalizada me parecem compatíveis com o tempo dele SEM VÁCUO. Se tivesse andado no vácuo com esses números, além de ter feito uma média uns 15% melhor, teria que estar na roda de alguém pedalando na casa dos 280 W. Não sei de ninguém que faça isso em uma prova de 70.3.

Que o vácuo é mais uma mancha no esporte é fato, porém é preciso cautela com fotos e dedos apontados para nomes ou números. Uma foto revela um segundo, e um segundo nem sempre é o retrato fiel de um evento com mais de duas horas.

ciro violin disse...

Pra variar.... Alguns "babacas" aproveitam situações para avacalhar uma discussão.

Comportamento tipico do Ser Humano o qual se acha melhor do que -o próximo-.

Sinto muito, mas não da pra continuar com esses comentários imbecis.
Já tive que regular 5 comentários que saíram completamente do proposito e do foco.

Encerro aqui esse "fórum".

Apenas quero lembrar que o triatleta brasileiro possui um péssimo habito de acomodação.

Ele , sei la por que, escolheu praticar um esporte desafiador, difícil, muitas vezes injusto........ mas muito justo, e que necessita muito treino e dedicação.

Então ele quer trazer sua zona de conforto (da sua vida), para dentro de uma atividade que não aceita essa zona de conforto.

Ai fica bravo e esperneia como -uma criança com fome longe da mamãe- , quando acaba sendo "obrigado" a ter que tirar a bunda do sofá, e sair pra assar essa bunda em cima do banco da bike.

Infelizmente o -tipico- triatleta brasileiro, dessa nova geração, quer facilidades ao invés das dificuldades.

Só que esse esporte não é para pessoas com esse tipo de comportamento.
Se vc quer zona de conforto e facilidades físicas, vá jogar golfe....



Eu entendo que alguns atletas estiveram em situações de vácuo, sem querer.
Eu entendo.

Entendo que é do momento.

Apenas acho que podemos nos unir junto com a organização e fazer uma prova limpa, justa e gostosa de se competir...... Cada um com suas responsabilidades.

Cada um sabendo de suas responsabilidades, deveres e obrigações, sem que precisemos de um fiscal para cada atleta no evento.

Quero lembrar que em uma sociedade que possui muitas regras e muitas leis.... Apenas quer dizer que esta sociedade é inferior.

Uma sociedade inteligente, precisa de menos leis e menos regras, pois cada um sabe o que precisa fazer para com seu meio.

ciro violin disse...

fotos realmente são momentaneas, e representam apenas um segundo.

Eu nem estava em Penha e fiquei sabendo do que rolou, e de quantos e quantos pelotões tiveram nessa prova.

Quem estava lá, com certeza deve ter visto.

Por favor, não vamos ficar em cima do muro pendendo para um dos lados quando nos convém.
Meter o dedo na ferida é preciso sim, e a foto apenas foi um estímulo à pessoas que estavam engasgadas com irregularidades.

por favor....

ciro violin disse...

Comentário do LODD via email:

Ciro,

Não to conseguindo comentar no teu blog. se vc puder postar pra mim o texto abaixo sobre o vácuo:

Caramba... essa porra cresceu!

Vamos lás...

Acabei de responder um puta email pro Waguinho falando do meu desânimo atual com o triathlon. Nunca fui um bom triatleta. Ponto.

Mas sempre gostei da brincadeira e me sobressaí na bike.

Até algum tempo atrás eu conseguia pegar uns pódios mesmo com a corrida MEDÍOCRE que eu tenho. Nado mais ou menos, pedalo bem e tento sobreviver à corrida.

O Ciro é testemunha disso. Uma vez até brincou comigo numa prova na USP perguntando da onde eu tinha vindo...

Bom, ultimamente não tem mais dado certo. Alguns dos meus "concorrentes" evoluiram demais no pedal e continuaram correndo. Outros aproveitaram essa "evolução" e foram junto (já que eu NUNCA carrego ninguém comigo).

Ecco... Eu já acho ha algum tempo que o triathlon está com o umbigo roxo. Infelizmente esse "boom" do esporte não foi bem administrado e hoje o que mais tem no nosso esporte é pessoas ordinárias, fazendo o extraordinário através de atos medíocres.

Trapaça é uma merda e afeta diretamente TODO MUNDO. Não foi pra isso que eu entrei pro esporte, muito menos pra ficar me estressando com isso.

Eu tenho algumas opiniões a respeito e acho que se liberarem o vácuo pode ser uma solução.

Regras da UCI pra prova de pelotão e em 2-3 anos os "pavões" que gostam de desfilar com equipamentos "Aero" vão debandar pra outra área (só espero que não seja pro ciclismo de pista rs) e daí quem sabe podemos re-pensar o nosso esporte como ATLETAS de verdade!

Outra opção é separar a Elite, seja ela amadora ou profissional do resto (e eu me incluo no resto) da turma da pipoca.

Esses, sei lá 200 atletas, largariam antes e teriam uma fiscalização exclusiva e aplicação de penalidades pois estariam disputando $$$, pontos no ranking, vagas para mundiais e troféus.

O resto teria as regras como são hoje, uma guia pra segurança com "escolta especializada", e competiria pelas medalhas de finisher.

De um jeito ou de outro, alguma coisa deve ser feita... pois eu (e aposto que mais alguns) estou perdendo o tesão por essa porra toda!

Abs

LODD

mr.giorchino disse...

A liberação do vácuo talvez seja a única e mais justa solução.

Lembrando que o triathlon é a união de três modalidades, Travessia de natação, ciclismo e pedestrianismo.E ciclismo tem vácuo.
Seria mais justo pois como nas regras olímpicas o melhor nas 3 modalidades vencerá, e a natação terá assim seu devido peso, algo que hoje não tem .Hoje em dia basta nadar médiocrilmente , pedalar na roda e correr forte com as perninhas descançadas.
Com a liberação do vácuo eu quero ver esses corredores rodeiros, travestidos de triatletas ganharem alguma coisa.

Rafael disse...

Grande Ciro, sempre postando assuntos que devem ser discutidos.

Abraço.

Dois pitacos:

(pitaco 1)
Em todo o blog ou site que faz referencia a este assunto eu vejo pessoas sugerindo controle eletrônico de vácuo através de "chips" fixados nas bikes.

Esqueçam, não tem como!

Isto é inviável, pois para isto ocorrer deveria haver uma "conversa" entre os chips, ou seja, seria algo parecido com o transponder de um avião (http://pt.wikipedia.org/wiki/Transponder). E além disto estes "chips" deveriam transmitir esta informação para algum servidor processar para gerar punição.

Acho que já deu pra perceber como isto seria caro e complicado. Os sistemas de chips de provas tradicionais já dão tilt com frequência, imagina isto.

E além disto, mesmo que fosse possível eu acredito que tem solução mais simples, principalmente para provas badaladas como full ironman e ironman 70.3 (que geram muita receita para a cidade).

Para resolver o problema bastaria - (primeiro) fazer a largada em ondas - (segundo) percurso de apenas ida (45km) e volta (45km). Certamente estas duas ações tornariam a fiscalização beeeem mais fácil.

Mas sei lá, parece que o pessoal pensa assim: "pra que simplificar se da pra complicar" ;-)

#ficaadica

(pitaco 2)
Também vejo pessoas sugerindo liberar de vez o vácuo.

Eu não acho interessante, pois nivelaria por baixo a prova e com certeza iria prejudicar os melhores ciclistas. Mas se por acaso algum organizador resolva liberar, o minimo que deve ocorrer e vetar bikes tt e clipes, caso contrário deixa de ser triathlon e vira roleta russa.

Eu não faria um prova com 900 inscritos e percurso de voltas com vácuo liberado. O risco não vale a pena.

Sem contar que vácuo liberado adiciona mais um fator decisivo na prova: SORTE.

Quem tiver a sorte de pegar um pelotão forte vai estar em vantagem.

Triatleta disse...

Por aqui, alguns "espertos" fazem o mesmo e ainda gozam com o pessoal. Mas a "justificação" mais gira é a do pack. Qual pack, qual quê? Ou é honesto e anda longe do da frente ou é batoteiro/trapaceiro. E depois, surgem grandes parciais no ciclismo e na corrida.
Só me apetece mandar-lhes com a garrafa de água na cabeça!
E os juízes desculpam-se que não viram! Como? Têm que ir ao oculista, porque só pode ser falta de visão ou...incompetência!

welber disse...

Ciro, talvez enviei vários email desculpe a falha, favor se possível publicar o ultimo que te mandei.

welber disse...

Ah, só pra esclarecer, o que escrevi acima foi porque vi os comentários sobre mim no ironbrother do Facebook, e tive que tb expor a minha opinião.

welber disse...

Não conheço esse tal de ulisses,   ele não estava na prova e não deveria falar nada. Em relação ao vacuo, infelizmente a organização foi péssima ,pois o número de participantes foi muito maior do que o percurso permitido,e pra quem pedala sabe que qualquer pelotão alcança um ,principalmente num percurso travado , vi muita gente que tentou sair do pelotão  e foi alcançado, e acabou sendo punido sem tentar pegar vacuo, pois em qualquer espaço alguém enfiava uma bike  e não tinha como pedalar.
Pra vc ver como a organização foi péssima acabei torcendo o pé e fui levado para o hospital e deixado lá, e  quem me trouxe foi uma enfermeira do hospital, pois ninguém da organização foi me pegar, e ainda mais, para os mais desavisados poderia ter pego a vaga para LV, mas por opção minha não quis, mas poderia ter pego sem peso na consciência, pois eu sei do meu potencial, e isso que importa.Em relação ao duathlon ele não falou que Quando ele caiu pela segunda vez eu passei por ele e falei pra ele levantar que a gente esperaria ele, e ele falou da boca dele que a prova pra ele tinha acabado , hoje me arrependo pois percebi que o cara não tem caráter , e outra, aquela prova pra mim era apenas um treino e estava fazendo com vários amigos e terminei,ganhando com um amigo, quem estava lá viu.E outra se esse cara fosse bom não tinha caído 2 vezes ou tinha deixado a gente,nem isso ele foi capas,  vai aprender pedalar primeiro.
  Engraçado,no ironman de floripa a conversa desse pessoal foi a mesma, será que não é dor de cotovelo???? Ou é porque eles não tem nada o que fazer. Se cada um cuidasse da sua  propria vida seria melhor  ou vai trabalhar em vez de depender do pai.
pois muita gente faz triathlon pra falar eu sou triatleta o porque não sabe aonde gastar o dinheiro que ganha de mesada.Tudo que escrevi foi por conta do que li no ironbrother do Facebook sobre mim, e resolvi também expor minha opnião.

Luis Almeida disse...

Ciro, concordo plenamente com seu comentário. É um desrespeito com os demais atletas. Inclusive sei de atletas que combinaram entre si de se ajudar durante a prova. Vergonha!! Nós amadores não ganhamos nada com isso. Não sei qual é a graça.
Só acredito que a organização da prova poderia dar uma ajudazinha pois em determinados momentos como o espaço disponível para pedalar é estreito é fogo evitar a formação de pelotões. Eu varias vezes, com medo de penalizações, tive que me deslocar para a contramão para poder ultrapassar.

mr.giorchino disse...

Rafael , me desculpe , pois pegar um bom PELOTÃO ( caso liberem o vácuo) NÃO É SORTE MEU AMIGO.
É SIM NADAR FORTE.

TRIATHLON NÃO É AQUECIMENTO NA ÁGUA + AQUECIMENTO NO CICLISMO + PEDESTRIANISMO.

TRIATHLON = NATAÇÃO + CICLIMO + PEDESTRIANISMO.