calor X frio











Este último final de semana aconteceu uma das provas mais tradicionais do triathlon no mundo, o IM 70.3 Pucón.
Esta competição que começou com uma distância pouco maior que um olímpico, ha alguns anos se fixou como um Meio Ironman, e passou a fazer parte da lista de eventos classificatórios para o Mundial de 70.3.
Pucón fica numa região de montanhas no Chile, e é considerada pela revista Triathlete como umas das provas mais bonitas do mundo.

Paisagem bonita, prova dura com asfalto crespo e muita subida... Mas, sempre com um clima agradável tanto para atletas quanto para o público.

Porem, este ano foi totalmente atípico: chuva, frio, vento... E, a prova foi transformada num Duathlon de 5km-90km-21km!

O relato do Colucci dizia que ele não conseguia fazer coisas simples como uma mudança de marchas no shift, desafivelar o capacete, calçar os tênis... devido ao clima terrivelmente frio!
Coisas simples, se tornaram complicadas...

A maioria dos atletas estava correndo com blusa de frio, por baixo do uniforme de prova, para amenizar a sensação térmica, e possibilidade de hipotermia.
O frio é realmente muito ruim...

Mas ........ o calor também é muito complicado.

O que seria pior?
Fazer um triathlon com calor extremo ou frio extremo ?

Conversando com o Arthur Alvim, cheguei a conclusão que esta prova de Pucón deve ter sido tão sofrida quanto aquela do começo do ano passado no Rodoanel.
O Long Distance Rodoanel ocorreu na situacao oposta: calor infernal!!
O Arthur fez a prova, e falou que o "bicho pegou".

Eu tb estava lá, mas acabei fazendo o short.
Juro que não consegui ficar assistindo o Long até o final de tão quente que estava.
Juro!!
Nao tinha a menor condicao de ficar ali parado devido ao calor e ao sol!!!
Mesmo na sombra a temperatura era brutal e assustadora!
Imagino como foi correr aquela prova, num local sem sobra, em que o asfalto e o concreto refletiam mais ainda o calor e a luz do "astro" poderoso que brilhava em cima da cabeça da galera.

Quem terminou aquela prova foi guerreiro mesmo!

E quem terminou Pucón neste último final de semana, também foi guerreiro pra caramba!

Não dá pra saber o que é pior...

O calor tem suas características, e o frio também tem as suas.

Quando vc está num clima de frio extremo, vc sonha com o calor...
E, quando vc está no calor extremo, tudo o que mais deseja á estar no frio.


Tem atletas qur se dão bem no frio... Outros atletas se dão bem no calor... E ainda tem aqueles "multiuso" ... que se dão bem nos dois ambientes.

Mas nenhum atleta se dá bem no calor ou no frio extremo.

No frio, vc tem o problema de nadar na água gelada.
Nadar é sempre um problema. Além de estar num meio diferente, numa posição diferente, estar nadando com a água de 10 a 15 graus, é um desconforto incrível!
Na bike, o vento.
Se vc não estiver bem agasalhado, vai sofrer o tempo todo com tremedeiras, batendo o queixo!

Triatletas tem o porcentual de gordura corporal baixo, o que significa menor proteção.
O gasto de energia se torna maior, já que além do corpo trabalhar para se aquecer, ainda tem que manter o nível de atividade das funções vitais, e ainda "conciliar" com a força exigida no outro exercício... Se vc não se alimentar direito, vai perder calorias... e , perdendo calorias muito mais do que se repoe, vc vai parar.
As extremidades congelam pois o corpo pára de mandar sangue para estes locais, já que as pontas dos dedos, pés, e nariz não são importantes para a sobrevivência.

Imagino o conflito interno do cérebro em conjunto com o organismo, que tenta lhe parar de todos os jeitos, mas vc insiste em continuar.
Ele não entende se é uma questão de sobrevivência, ou estupidez...

No calor o buraco também fica bem lá em baixo.
Apesar de nadar numa água mais confortável, o calor extremo faz com que tudo esquente.... desde o chão que vc pisa, o capacete, até a água na caramanhola térmica.
Beber água quente faz com que vc desidrate muito mais rápido, deixando o sangue viscoso, e fazendo com que sua pressão interna suba, além das câimbras absurdas!
Podemos ter problemas de queimaduras na pele, insolação, fadiga, e parar no meio do evento com o corpo pedindo arrego... Pedindo para estacionar urgente em cima de uma maca da ambulância.

É perigoso................. muito perigoso, insistir sob um forte calor.

Imagino também o conflito interno: o cérebro mandando informações tentando te parar de todas as maneiras, já que ele não consegue entender o por que da sua insistência em continuar colocando sua vida em risco; e vc tentando controlar a mente para vencer o desafio!

O instinto do corpo humano vai ser sempre te parar quando perceber que isso é demais para o que estamos acostumados e condicionados. Ele vai tentar te parar de várias maneiras... E, por isso, vc precisa estar preparado para dar ao organismo o que ele precisar naquele momento, seja com frio ou com calor extremo...

Não dá pra saber o que é pior... Pelo menos, esta é minha opinião.
Eu, sinceramente, não tenho escolha.

Por isso a ideia é:
Depois de colocar aquela prova "X" como objetivo, deve-se estudar e treinar - além das transições, longos de bike e alimentação - o clima da prova, para tentar simular algo parecido com o local do grande dia.
Isso serve para se condicionar o máximo possível e , também ter a noção do que precisa ser feito para corrigir algo que possa sair do controle - as famosas variaveis incontrolaveis/ adversidades - numa prova como Pucón 2011 ou Long Distance Rodoanel 2010.


Parabéns para os que terminaram estas duas difíceis competições!!!!

5 comentários:

Rafael Camacho disse...

Parabens pelo comentário muito bom mesmo mando bem na exlicaçãoo......passar exeperiencia e sempre bom aprendi algumas coisas com vc que melhoraram muito meus treinoss

Leandro Cunha disse...

Belo Post Ciro !!

Tento imaginar o q a galéra passou em Pucon, pois lembro das condições do Rodoanel, um calor infernal, pois tbm não consegui ficar para assistir o final da prova, a temperatura, sol estava d+, enquanto eu corria o short estva pensando comigo mesmo o sofrimento q a galéra iria infrentar no long..srssrs...abs

Alexandre Vasconcellos disse...

Pelas experiências que tive, o calor me prejudica mais do que o frio. Nunca competi num frio extremo, mínima de 8 graus.

Pedro disse...

Ciro fiz estas duas provas e na minha opinião o frio é muito pior, sofri bem mais em Pucon do que no Rodoanel!! Abraço

Pedro disse...

Ciro fiz estas duas provas, e na minha opinião o frio é bem pior, sofri muito mais em Pucon do que no Rodoanel!! Abraço